Santino Voltolini

Santino Voltolini

No dia 27 de julho de 1977 veio à capital catarinense o general João Batista de Oliveira Figueiredo para pedir apoio a sua candidatura ao cargo de presidente da República. Figueiredo foi o último presidente militar e governou de 1979 a 1985. Em primeiro plano aparecem, da direita para a esquerda, Esperidião Amim, o futuro presidente Figueiredo, Ênio Laus, prefeito Santino Ludovino Voltolini (Nova Trento) e Miguel Faraco (secretário executivo da Associação dos 22 Municípios da Grande Florianópolis). Atrás estão o prefeito Mário José Koerich (Águas Mornas), vice-prefeito Amaro Lúcio da Silva (Rancho Queimado), prefeito Adílio Inácio de Abreu (Garopaba), vereador Manoel Certório Alves (São João Batista) e vice-prefeito Orlando Pauli (Antônio Carlos).

Importante registrar que Manoel Certório Alves era do Timbé e emprestou seu nome para denominar o ginásio de esportes Manecão, de São João Batista. Ênio Laus era vice-prefeito de Canelinha e estava no exercício do cargo de titular, em razão de uma licença do prefeito Sergio Jachowicz, seu primo. Ênio foi eleito prefeito em 1982.

fonte Jornal razão Tijuquense,14.102016. Foto de Valter Pacheco. Postagem Jonas Cadorin

Anúncios

ESCOLA ESTADUAL – TRÊS BARRAS – NOVA TRENTO -SC – 1970

70389152_694531431016564_931081624815140864_o   “Registro fotográfico do ano de 1970 dos alunos (as) e provavelmente de seus pais da Escola Estadual que ficava na localidade de Três Barras situada ao lado da entrada da estrada de acesso à localidade de Serraval, município de Nova Trento – SC.
    A Professora Sra Lourdes Teresinha Voltolini Hoeppers, e a Sra Maria Aparecida Tomazini foram professoras que lecionaram nesta escola.
Detalhe : A Sra Teresinha Ceccato que estudou nesta escola e nos enviou a fotografia deseja imensamente encontrar-se com a sua ex professora Sra Lourdes Teresinha Voltolini Hoeppers.
Fotografia do ano de 1970 dos alunos e provavelmente de seus pais da Escola Estadual que ficava na localidade de Três Barras, município de Nova Trento – SC. O prédio da escola foi demolido na década de 1990.

Gostaríamos de identificar todos os presentes nesta fotografia, quem souber os nomes por gentileza nos envie.
Acervo fotográfico : Sra Terezinha Ceccato, postado na página de facebook de Godofredo L. Tonini em 12.09.2019

Benfeitores do santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro: JOÃO VISENTAINER e JOÃO VOLTOLINI

João Visentainer                                               João Voltolini

COLABORADORES – S.N.S.B.S. – NOVA TRENTO – SC – 1889 – 2018  Nesses quase 120 anos de existência do Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro, muitas pessoas se destacaram pela dedicação e trabalho para que o Santuário sobrevivesse até os dias atuais.Esses devotos ajudavam na manutenção do seu dia a dia, participando na organização de festas lá realizadas prestando serviços de pedreiros e serventes de pedreiros no inicio de sua fundação e construção, entre outros.Estamos destacando dois personagens entre muitos que tiveram papel preponderante no início dessa caminhada religiosa:

JOÃO VISENTAINER : Foi zeloso guarda do Santuário por muitos anos, tarefa difícil a ser cumprida devido as dificuldades de toda ordem em especial a dos deslocamentos diários de sua residência para cuidar do Santuário, em virtude da estrada à época ser quase uma picada e ter quase 5 km de extensão morro acima, residia na localidade do Mato Queimado Debaixo ;

JOÃO VOLTOLINI : Um devoto diferenciado e de extraordinária importância no início da fundação do Santuário em 02/12/1899.À época da fundação do Santuário estava com 51 anos de idade; Era auxiliar do fundador do Santuário o Padre francês Alfredo Russel;Foi o pedreiro que no dia 09 de julho de 1901 construiu o pequeno nicho na pedra para colocar a imagem de Nossa Senhora do Bom Socorro onde seria celebrada a 1ª Santa Missa no Santuário, em 02/071902;Comandou a organização dos preparativos para a celebração da 1ª Santa Missa, realizada no dia 02/071902, dirigiu o coral Coração de Maria que cantou durante essa missa; Providenciou a alimentação para os devotos que compareceram para essa festividade, que consistia em xícaras de café e pão. Residia no Morro da Onça, posteriormente foi residir na localidade de Centro do Moura, município de Canelinha.Em 1950 estava com 92 anos, ano de comemoração do Cinquentenário de fundação do Santuário – 02/12/1899 – 02/12/1950.

Texto e fotografias: Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

 

 

 

FAMILIARES DE SEMINARISTAS – S.N.S.B.S. – 1958

2019-03-27 07.48.48

Familiares de seminaristas que estudavam no Seminário São José da cidade de Castro – Parana, junto com o Diretor desse seminário o saudoso Padre Vital Bernini, num domingo de data desconhecida do ano de 1958, nas dependências do pátio do Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro, situado no Morro da Cruz na altitude de 525 metros.
Na primeira fila a esquerda para a direita encostados na pedra, os saudosos Srs. José Erbs, Jaime Voltolini e Horácio Raulino.
Na primeira flila da esquerda para a direita sentados, os saudosos Srs. Luiz Tomasi, Antonio Feller. (Tonho) e Francisco Cadorin.
Na segunda fila em pé da esquerda para a direita, os saudosos Padre Vital Bernini, Diretor do Seminário São José da cidade de Castro – PR., Elísio Tonini, meu pai e a saudosa Sra Dezola Voltolini Visentainer.
Na terceira fila em pé da esquerda para a direita, as saudosas Sras Bráulia da Silva Voltolini, Guidinha Tomasoni Voltolini, Maria Gorges Raulino, Albertina Tridapalli Erbs e Clodomira Alice Cobb da cidade de Castro – Pr, professora dos seminaristas.
A sra vestida de preto com a mão na frente da boca e rindo gostosamente de nome desconhecido, ao seu lado minha saudosa mãe Benta Battisti Archer Tonini.
Atrás de minha mãe na sequência as saudosas Iolanda Voltolini, Adelina Demonti Cadorin e Selina Voltolini Floriani, (Celene).
No meio das crianças com o chapéu na mão, o saudoso Sr. Antonio Voltolini (Toni).
As crianças apesar de conhecidas impossível nomina-las, devido não estarem em ordem regular.

Foto e comentário: Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

DESFILE 07 DE SETEMBRO – 1972 – Colégio professor Francisco Mazzola

setesetembro

“1º – Da esquerda para a direita na frente :
Rosemira Lobo (Rose), Tarcísio Facchini (Ico), Maurilio Mazzola, Pedro Montibeller, Enio Feller (Correca), Ismar Voltolini, Oscar Archer (Oscarzinho), Alceu Dalbosco, saudoso Ernani Feller, Miralci Valle, José Moacir Rachadel (Leco), Aldo Hartke e Ana Maria Sgrott
2º – Da esquerda para a direita atrás :
Marcos Rachadel (Paco), Saulo Voltolini, Godofredo Luiz Tonini (Godoi), Deda Ceccato.
3º – Agachadas : Da esquerda para a direita :
Clarinda Tomasi, Maria Elizabete Archer (Bete) e Vera Valle.
Registro fotográfico realizado no pátio do antigo Colégio Normal Professor Francisco Mazzola, hoje nominado de EEB Francisco Mazzola, no dia 07 de Setembro de 1972, após o desfile do dia 07 de setembro.
Estávamos vestidos de preto e branco, pois fazíamos parte da bateria que dava o ritmo da marcha para os demais estudantes. As alunas faziam parte da comissão de frente do colégio, eram destaques.
Dos alunos (as) fotografados apenas 04 permanecem em Nova Trento, um faleceu, os outros 15 saíram da cidade em busca de trabalho, infelizmente perdemos excelentes profissionais.”                                                                                                                                          Foto e informações : Godofredo Tonini. Postagem : jonas Cadorin

COMITIVA DE NOVA TRENTO VISITA TRENTO EM 1975, ANO DO CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO

“A trouxeram do Brasil os descendentes de imigrantes                                         BANDEIRA DE NOVA TRENTO É ENTREGUE AO PREFEITO                                                   O grupo de prefeitos e administradores de cidades Trentino-brasileiras se encontraram ontem de manhã na prefeitura com o prefeito Tononi. Na cerimônia teve troca de gentilezas e o prefeito de Nova Trento entregou a Tononi a própria bandeira, uma ligação entre as duas Trento, uma daqui e uma do outro lado do Oceano. O grupo de netos e bisnetos de imigrantes Trentino no Brasil está cumprindo uma visita  a Província, primeiro contato depois de um século das populações que no ano de 1875 deixaram o Trentino.”(Tradução livre do texto feita por Jonas Cadorin)

infelizmente não temos a data da foto. O recorte de um  jornal da região do trentino se encontrava num quadro deteriorado pela umidade  na sede do Circolo Trentino de Nova Trento. A foto retrata um momento histórico no ano que Nova Trento comemorou 100 anos de imigração tiroleza/trentina ao Brasil.  Era  prefeito o sr. Santino Ludovino Voltolini. A visita marcou o início de várias parcerias que se sucederam nas décadas vindouras e reaproximaram, depois de um seculo, as duas cidades.(Giorgio Tononi líder da azienda per il turismo, foi eleito prefeito de Trento com os democratas-cristãos, em 14 de janeiro de 1975 a 24 de julho de 1980, faleceu em 2013.)

Postagem: Jonas Cadorin

Giovanni Antônio Voltolini

2018-02-27 14.30.36

  Giovanni Antônio Voltolini,  natural de Borgo Valsugana,Tirol, hoje província Autônoma de  Trento, Itália. Nasceu em 10 de de maio de 1858. Foi fundador da igreja de Santo Inácio no Moura-Canelinha, estado de Santa Catarina. Além de doar o terreno  ajudou a levantar a igreja com seus dotes de pedreiro (murator).    Veio a falecer no bairro  Moura em Canelinha no ano ano de 1950 aos 92 anos de idade. Giovanni e Thereza se casaram em 5 de fevereiro de 1879 na igreja de São Virgílio em Nova Trento pelo missionário italiano o Padre Arcângelo Ganarini. Na foto Giovanni ostenta a medalha do Apostolado da Oração.

Foto cedida por Luiz Bastiani, escritor residente no município de Canelinha.

SANTO ANGELO VOLTOLINI

 

2017-08-29 10.06.12

Santo Angelo Voltolini. * 18.10.1912 + 01.04.1986 foto da lápide  no cemitério da localidade de Pitanga, Nova Trento. Obs. a foto , devido ação do tempo, perdeu a nitidez. O cemitério está localizado numa pequena encosta nos fundos da igreja. restam poucos túmulos antigos.  A erosão cobriu vários deles. ainda há uma fila de túmulos destinados às crianças, pois a mortalidade infantil , até década de 1970  era alta em todo o município devido a falta de saneamento básico e assistência médico hospitalar adequada. Algumas fotos que publicaremos fazem parte deste cemitério e ajudam a compor as principais famílias que habitavam a localidade. A eles nossa homenagem.