Igreja Matriz de Angelina completa 73 ANOS


Dia 23 de maio de 2021, a atual Igreja Matriz dedicada à Nossa Senhora da Imaculada Conceição, localizada na cidade de Angelina-SC, completa 73 anos de sua inauguração. Com projeto arquitetônico elaborado pelo Pe. Vicente Schmitz as obras foram executadas pelos mestres pedreiros Francisco Cadorin e Domingos Darós, de Nova Trento-SC.

Findas as obras, há 73 anos, dia 23 de maio de 1948, o então Arcebispo de Florianópolis, Dom  Joaquim Domingues de Oliveira, a inaugura oficialmente com a respectiva bênção.

Segundo o Livro do Tombo da Paróquia de Angelina, à página 82: “milhares de padrinhos esperavam ansiosamente o momento em que as portas da nova igreja se abrissem pela primeira vez. E a surpresa foi grande. O interior representa um recinto sagrado e piedoso. Uma arquitetura atraente, magistral e impecável corre em linhas simples e inconfundíveis”.

Texto e foto: historiador Toni Jochem. Postagem: Jonas Cadorin

MÚSICOS DA BANDA PADRE SABBATINI 1950-1960

Precioso registro fotográfico da Banda Musical Padre Ângelo Sabbatini, fundada no dia 08/10/1889, possivelmente realizado entre as décadas de 1950 e 1960.
Pelo local onde os músicos e alguns assistentes encontram-se embaixo de uma barraca, o registro fotográfico deve ter sido realizado durante breve descanso quando da apresentação da banda abrilhantando festividade de local desconhecido e sem data definida.
Sentados da esquerda para a direita : O Srs. Luiz Virgílio Tomasi(bombardino), Conradi, Arthur Sgrott ( clarinete), João Valle, Jordão Cadorin e Aprígio Bottameli (clarinete), desconhecido, Francisco Cadorin(trompa), Fernando Luiz Tomasi (trompete), e Fernando Cadorin(trompa).
Em pé da esquerda para a direita : Desconhecido, Assis Cadorin(trompa), Virgílio Tomasi(trombone), Ricardo Piazza(bumbo), desconhecido. Antônio Guedes com o Chocalho, encoberto está o baterista Mario Ceccato e João Cadorin (baixo tuba).

Fonte : Godofredo Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

CONJUNTO OS INSUPORTÁVEIS

De cócoras o saudoso Prefeito Municipal Sr. Aires Manoel Rachadel, que administrou o município de 1961 a 1965;
1ª fila : da esquerda para a direita : os saudosos Srs. Arthur Sgrott (clarinete), Aldo Bastiani (acordeon), Adulce Silva (pandeiro), Lino Cadorin(chocalho), Eloy Jose Tell e Rubens Darossi.
2ª fila : da esquerda para a direita : o saudoso Sr. Filinto Valle (clarinete), Dimas Tell (chocalho), o saudoso Sr. Jaime Voltolini (cavaquinho) e Aníbal Motta (acordeon)
A foto abaixo é do Conjunto Musical “Os Insuportáveis” formado por músicos neotrentinos, quase todos com passagem pela Banda Musical Padre Angelo Sabbatini.
Estavam abrilhantando uma festa caipira provavelmente no Colégio Estadual Professor Francisco Mazzola.
Esse conjunto de Insuportável não tinha nada, muito pelo contrário, era famoso e sempre requisitado para todas as festividades.
Foto e comentários: Godofredo L. Toninni Postagem : Jonas Cadorin

JARDIM DA INFÂNCIA Pe. ROSSI -1966

Na foto Padre Luis Petry e a irmã diretora do Jardim em foto comemorativa defronte a igreja matriz no dia 7 de setembro de 1966 com seus mais de setenta alunos.( Alguns estão com a faixa verde amarela). na foto identifiquei Roque Borgonovo, Joe Piazza e sua irmãzinha(a menor bem na frente da foto), os irmãos Jânio e Jonas Cadorin, Amilton Tridapalli, Sônia Valle. ( Se alguém lembrar da nominata completa é só mandar que publicamos)

Foto: padre Flávio Feller. Publicação e comentário: Jonas Cadorin

CATHARINA MAZZOLA

Catharina Mazzola,* 25.11.1913 – +07.05.2003. Também conhecida como tia Ceci, foi a segunda esposa de Jordão Cadorin de 1968 a 1975 quando este veio a falecer. Foi dama de companhia do seu enteado padre Cláudio Cadorin.

Postagem: Jonas Cadorin

PEDREIROS DE NOVA TRENTO – IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO – BETÂNIA -ANGELINA

Se hoje Nova Trento é conhecida como a ” cidade dos pedreiros” é no passado que este titulo foi conquistado. Quando a crise da agricultura e da falta de terrenos propícios para o plantio para atender famílias numerosas, Nova Trento vê surgir uma alternativa que até então estava dormente: a construção civil. Se até então não haviam feito uso destas habilidades é por que a oferta abundante de madeira justificava a ausência de casas de alvenaria. Com as casa se deteriorando e sendo consumidas por cupins ao longo dos anos, as novas foram sendo edificadas de alvenaria, a começar pelas igrejas. A construção de igrejas projetou a mão de obra neotrentina para além de suas fronteiras. Na foto acima vemos a construção da igreja, administrada pelos padres Franciscanos, na localidade de Betânia, município de Angelina, entre 1953 a 1955 . Pedreiros, carpinteiros, serventes, pintores, assentadores de ladrilho hidráulico, cozinheiros, uma empreiteira onde cada um sabia fazer o seu papel com maestria, guiados por um pedreiro mais experiente que executava ( quando não desenhava e fazia o cálculo estrutural) a planta da obra contratada. Na foto acima o grupo tinha como responsável o Sr. Salvador Cadorin, filho do respeitado mestre construtor Francisco Cadorin . Não temos como identificar os pedreiros na foto. A foto faz parte do álbum de família do falecido Salvador Cadorin. Um registro que ele fazia questão de guardar e mostrar como prova da habilidade dos pedreiros neotrentinos. Trabalho de equipe. Trabalho de amigos, acima de tudo. Os anos se passaram a obra permanece. Nova Trento e todas suas empreiteiras e construtores agradecem a herança deixada.
O frei Franciscano aparece de preto no centro da foto, no andaime, ladeado pelos oito construtores (muratori). O homem de branco, de paletó , supomos que seja alguém ligado a administração da obra.
Salvador Cadorin aprece no lado direito da escada, com a mão no bolso.

Postagem: Jonas Cadorin. Fotos: álbum família Salvador Cadorin, site da paroquia de Angelina.

FANFARRA DO GINÁSIO ORIENTADO PARA O TRABALHO – GOT – DÉCADA DE 1970

NA FILA DA FRENTEda esquerda para a direita: IRª…, EUDES MAZZOLA, ERNANI FACCHINI, ….., …, …, …, …, …, …, IRª HERCI JULIA REIS. NA FILA DO MEIO: LUDOVICO CADORIN (VICK) …, HERBERTO MARCHI (BETINHO), …, CARLOS DE SOUSA(CARLINHOS) ,… NA FILA DE CIMA: …, …, BENTO MARCHIORI, …, …, …, …, …, …, …, …,

ACEITAMOS CONTRIBUIÇÕES PARA IDENTIFICAÇÃO DAS PESSOAS DA FOTO

O Ginásio Orientado para o Trabalho – GOT- funcionava onde hoje funciona o Centro de Encontros Imaculada Conceição- CEIC.

Postagem: Jonas Cadorin

CIRO ORLANDO CADORIN e ADELAIDE DARÓS

Ciro Orlando Cadorin, pedreiro, músico nas horas vagas, filho de Francisco Cadorin e Maria Gullini Cadorin
*09.01.1937 – + 06.09.1987
Adelaide Maria Darós Cadorin, costureira, uma das primeira, senão a primeira, a ter uma máquina de costura Overlok para costurar malha em escala doméstica. Voz soprano inconfundível, atuou nos corais da cidade, filha de José e Hercília Darós, residentes à rua João Bayer Sobrinho
*26.04.1940 – 17.09.1994

Foto: lápide no cemitério central – Nova Trento. Postagem: Jonas Cadorin

UMA TELHA, UMA INFORMAÇÃO!

Na recente troca do telhado da casa do falecido Salvador Cadorin, construída na década de 1950, na rua João Bayer Sobrinho encontramos várias telhas da CERÂMICA CATARINENSE NOVA TRENTO Sta. CATARINA. Não temos informação de onde se localizava a cerâmica e quem eram os proprietários. Postagem: Jonas Cadorin . postagem do Sr. Godofredo L. Tonini no facebook “

O exemplar da telha abaixo era fabricado na década de 1950, numa antiga e pequena olaria nominada de Ceramica Catarinense que funcionava na localidade neotrentina conhecida por Maronha, localizada na Ponta Fina Norte e próxima ao Bairro Sant Antonin, no nosso dialeto italiano e em português Santo Antônio, no município de Nova Trento – SC.Essa pequena olaria era de propriedade de meu saudoso pai Sr. Elísio José Tonini e de seu saudoso sócio Sr. Arnaldo Tomazoni.A antiga residência de meus saudosos pais também era coberta por essas telhas.”

PADRE CLÁUDIO JEREMIAS CADORIN

Cláudio Cadorin, filho de Jordão e Inez Gullini Cadorin, foi ordenado padre diocesano pelo bispo Dom Joaquim Domingues de Oliveira, no dia 04/12/1955 na igreja matriz São Virgílio, Nova Trento, no ano em que a paróquia comemorava 50 anos de fundação. Foto : Cláudio Bersi de Souza, capa do livro: Anjo da Humildade.
Foi vigario em Saõ João Batista,Ilhota e Barreiros.e Penha. Faleceu aos 63 de idade, 39 anos de ordenação, em Jacobina, interior da Bahia, onde estav atuando como missionário, no dia 30 de novembro de 1994. Foi sepultado no cemitério central de Nova Trento. Foto e postagem, Jonas Cadorin