LUÍS BETIM PAIS LEME

20200219_185020

Luís Betim Paes leme, diretor da colonia Itajaí-Príncipe dom Pedro, de 1872 a 1875. Os primeiros colonos tiroleses/trentinos chegaram á colonia nos últimos meses de sua direção.  Os primeiros colonos foram instalados no quilometro 16, ‘ I sedesi” , bairros Tirol e Lombardia,no atual distrito de Claraíba                                                                              Fonte: livro Vincere o Morire, de Renzo Maria Grosselli. Postagem:Jonas Cadorin

DESFILE DE 7 DE SETEMBRO 1977 – GRUPO ESCOLAR LACERDA COUTINHO

2020-01-30 15.03.152020-01-30 15.04.48

Desfile cívico de 7 de setembro do ano de 1977 do Grupo escolar Lacerda Coutinho ( local da foto: defronte a igreja matriz tendo ao fundo o prédio da antiga prefeitura) Nos moldes do desfiles militares , os colégios de todo Brasil organizaram , durante a ditadura militar, marchas cívicas que primavam pela organização em pelotões com temas variados e em ritmo de marcha  marcado por uma fanfarra. O evento era preparado nos meses julho e agosto com exaustivos ensaios de marcha, bem como ensaios dos músicos que compunham a fanfarra ( surdos, bumbos, caixas de repique, cornetas/ pistons). No alvorecer do dia sete, no alto do morro do cemitério municipal era entoado o toque de alvorada seguido por fogos que simulavam tiros de canhão. O desfile refletia a máxima positivista do lema da bandeira: ordem e progresso. após o desfile os alunos eram  brindados com uma garrafinha de refrigerante (laranjinha Max willen) e um pão doce (massinha) confeccionado geralmente pela padaria do sr. Bernardo Tell.

Fonte: arquivo do colégio Francisco Mazzzola, postagem e comentários: Jonas Cadorin

DESFILE CÍVICO -DÉCADA DE 1960

2019-12-16 21.59.35

Desfile cívico do Grupo Escolar Lacerda Coutinho da década de 1960.  No lado direito da foto é possível observar  parte do salão paroquial onde funcionava o Jardim da Infância Padre Rossi. Ao fundo o prédio da antiga farmácia  do Sr. Clarindo, O casarão hospedaria dos Facchini, (hoje Giacomelli),o prédio da Salamanca (Despachante Vita…)

Foto: arquivo do Colégio Francisco Mazzola. postagem e comentário: Jonas Cadorin

CONCENTRAÇÃO DO DESFILE DE 7 DE SETEMBRO- DÉCADA DE 1970

2019-12-16 21.54.41

Grupo Escolar Lacerda Coutinho na concentração do desfile. No lado direito da foto professores de ginástica, Fioravante Marchi e Nair Valle. Uma irmão da imaculada Conceição  a frente do pelotão de acrobacias  com arcos( estas evoluções eram ensaiadas nas ulas de Ginástica- hoje Educação Física). A fanfarra está logo a seguir. Atrás da fanfarra havia uma cerca viva que delimitava o espaço da horta que servia para aulas de Técnicas Agrícolas e  de onde tirados verduras e legumes para a sempre bem vinda  sopa – merenda escolar. As árvores ao fundo  eram laranjeiras e vergamoteiras do pomar da família do sr. João Valle, musico( tocava a  Requinta, uma variação do clarinete em tom agudo)), cantor barítono que encantava a todos com seu timbre de voz durante as missas.A foto foi tirada no local onde havia o campo de futebol (hoje tem dois ginásios de esporte.  O colégio foi dividido pelo  Rua dos Imigrantes , aberta na década de 1980) . Ao fundo o  GOT – Ginásio Orientado para o Trabalho, hoje centro de encontros Imaculada Conceição – CEIC.

Foto: acervo do colégio Francisco Mazolla. Postagem  e comentários Jonas Cadorin

CASTO DALRI E DOMENICA ORSI

Entre tantos imigrantes que em 1875 embarcaram nos navios a vapor rumo ao Brasil estava Anna Stringari, viúva de Giacomo dal Ri, da Comune di Nanno.

Sem esperança de dias melhores naquela região e com cinco filhos para sustentar – Casto, Crescenzo, Angela, Romana e Ermínia – veio com o objetivo de refazer a vida da família no país da cucanha, da fartura, como diziam nas propagandas da época. Não faziam ideia que iriam ajudar a fundar uma NOVA Trento. Na Colônia Nova Trento, 1876 a família Dalri se estabelece na linha Vigolana, o Vígolo que conhecemos hoje.Por serem poucos os imigrantes da Val di Non em Nova Trento, a família recebe o apelido de nonesi, mantido até os dias atuais.Casto Dalri, o mais velho, auxilia a mãe assumindo o papel de ‘homem da casa’ nos cuidados da família e dos negócios. Exímio carpinteiro, agricultor, produtor de vinho, conciliador, tornou-se um homem respeitado na linha Vigolana.Em 1886, aos 33 anos de idade, Casto se casa com a viúva de Pietro Dalsenter, Domenica Orsi, de 30 anos de idade, com quem teve sete filhos: STANISLAO DOMENICO, MARIA, ANNA, LUIZA, GIACOMO e VITOR (gêmeos) e LUIZ.Além do sustento da casa exerceu sua liderança na comunidade vigolana. Foi um dos Conselheiros Municipais (vereador) quando em 1892, junto com políticos como Henrique Carlos Boiteux, Francisco Gottardi Primo, Hipólito Boiteux, João Valle e Giacomo Poli, encabeçaram o processo de emancipação política da colônia Nova Trento a condição de município.

Fotos Sidnei Zanella. Postagem: Jonas cadorin

Casa dei Nonni São Valentim

A primeira escola construída em São Valentim foi de madeira e ficava ao lado da igreja. A iniciativa da construção foi dos irmãos Cerilo, Augusto e José Eccher da família Eccher. A atual escola sofreu reformas para dar lugar a Casa Dei Nonni João Eccher em São Valentim com uma área de 228 m².

Fonte: Professor Édio Mazera

08-casa-dei-none

Antigo Noviciado e juvenato das Irmãzinhas da Imaculada Conceição

2019-10-16 14.43.10

Prédio e capela do Noviciado(fase de estudos da vida religiosa que antecede a profissão dos primeiros votos de pobreza ,castidade e obediência), construído no ano de 1918. desde 1937 passou a funcionar como juvenato (  fase preparatória para ingresso à vida religiosa)

2019-10-16 14.06.19

Inauguração da ampliação do Juvenato construída em 1941(salas para aula e dormitório).  Posteriormente o mesmo prédio abrigou o GOT – Ginásio Orientado para o Trabalho. Na época havia uma área esportiva defronte ao prédio. Hoje o prédio serve para encontros e pousada- CEI-   Centro de Encontros Imaculada Conceição fazendo frente com a rua dos Imigrantes aberta nos anos de 1980.

Fonte: Esboço Histórico da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição-1895-1945. Postagem: Jonas Cadorin

 

ESCOLA ESTADUAL – TRÊS BARRAS – NOVA TRENTO -SC – 1970

70389152_694531431016564_931081624815140864_o   “Registro fotográfico do ano de 1970 dos alunos (as) e provavelmente de seus pais da Escola Estadual que ficava na localidade de Três Barras situada ao lado da entrada da estrada de acesso à localidade de Serraval, município de Nova Trento – SC.
    A Professora Sra Lourdes Teresinha Voltolini Hoeppers, e a Sra Maria Aparecida Tomazini foram professoras que lecionaram nesta escola.
Detalhe : A Sra Teresinha Ceccato que estudou nesta escola e nos enviou a fotografia deseja imensamente encontrar-se com a sua ex professora Sra Lourdes Teresinha Voltolini Hoeppers.
Fotografia do ano de 1970 dos alunos e provavelmente de seus pais da Escola Estadual que ficava na localidade de Três Barras, município de Nova Trento – SC. O prédio da escola foi demolido na década de 1990.

Gostaríamos de identificar todos os presentes nesta fotografia, quem souber os nomes por gentileza nos envie.
Acervo fotográfico : Sra Terezinha Ceccato, postado na página de facebook de Godofredo L. Tonini em 12.09.2019

ALUNOS e PROFESSORES – DISTRITO AGUTI – 1966

2019-09-10 10.05.37

Ao contrário do que a foto possa sugerir, uma escola de alunos carentes, a imagem retrata, sim,  uma escola multisseriada, de madeira, de uma comunidade rural onde uma das preocupações dos pais era a educação escolar dos filhos. Por simples que fossem, todos vinham uniformizados. Uniformes costurados pelas próprias mães. Professoras e professores abnegados que enfrentavam o desafio diário de alfabetizar e ensinar em língua portuguesa quando no dia  a dia as crianças conviviam com o dialeto alemão falado em suas residências por pais e avós.  Hoje todos cidadãos de bem. Lição de casa cumprida!

“Registro fotográfico realizado no ano de 1966 dos alunos (as) que frequentavam a Escola do Distrito de Aguti no município de Nova Trento SC.
O Professor a direita da foto é o saudoso Sr. Albino Muller, e a Professora a esquerda da foto é a Sra Lodis Dell’ Antonia Mistura, pessoas do bem foram muito dedicados ao aprendizado dessas crianças.
Relação de alunas que foi possível identificar :
Sonia Muller, Silvia Muller, desconhecida, Marice Vanelli, Miriam Vanelli, Tereza Wilbert, Maria Pering, Salete Reuter, Maria Reuter, Evanilde Sborz, Elizete Sborz, Marli Sborz, Arlinda Meyer, Anita Irene Meyer, Filomena Mistura, Odete Pereira, Gloria Mayer, Catarina Coelho, Solange Muller, Célia Pering e Maria Helena Muller.
Relação dos alunos que foi possível identificar: Odair Vanelli, Silvério Pering, João Pering, Inácio Pering, José Nildo Pering, Henrique Pereira, Valdir Pering, Oscar Pering, Antônio Reuter, Tarcisio Schimidt, Valdir Sborz e Venício Sborz.
Observação: quem não foi relacionado por favor identifique-se para ver se conseguimos identificar todos.” Pode comunicar-se conosco enviando seu comentário no “balão” que aparece no lado superior direito desta postagem.

Fotografia enviada pela neotrentina, Sueli Sborz Baggio, residente em Blumenau, nascida no Distrito de Aguti, postada por Godofredo L. Tonini em sua página do Facebook em 09.09.19

Postagem: Jonas Cadorin

HOJE É DIA DE SÃO VIGÍLIO, BISPO MÁRTIR – PADROEIRO DETRENTO E NOVA TRENTO

20160704_103949

Bispo mártir de almas mil, Te veneram no Brasil. Nova Trento em ti confia… diz o hino. Vigilio nasceu em Roma no ano de 335, estudou,  foi sacerdote, bispo e  missionário na região do norte da Itália onde foi morto a pauladas e golpes de tamancos(slgamei, socoi) pelo moradores da Val de Rendena que cultuavam o deus Saturno.(San Vigilio provocou a ira dos  moradores ao celebrar uma missa num local onde havia uma estátua de saturno que ele arremessou no rio Sarca. algumas estatuas o apresentam com um tamanco na mão, lembrando seu martírio. Canonizado, San Vigilio é o santo patrono da Arquidiocese de Trento e da diocesse de Bolsano-Bressanone. A devoção ao santo foi trazida pelos imigrantes tiroleses/trentinos que colonizaram Nova Trento e que o aclamaram como padroeiro da Paróquia de São Virgílio (nome foi traduzido para o português). sua festa é comemorada no dia 26 de junho. Em nova Trento os nascidos nesta data recebiam o nome do santo. Muitos são os Virgílio de Nova Trento. Nas novenas preparatória de sua festa uma das procissões  era ados “Virgílios” onde o santo era levado por homens e meninos com o seu nome.

Foto e postagem Jonas Cadorin. estátua da igreja matriz de Nova Trento