CASTO DALRI E DOMENICA ORSI

Entre tantos imigrantes que em 1875 embarcaram nos navios a vapor rumo ao Brasil estava Anna Stringari, viúva de Giacomo dal Ri, da Comune di Nanno.

Sem esperança de dias melhores naquela região e com cinco filhos para sustentar – Casto, Crescenzo, Angela, Romana e Ermínia – veio com o objetivo de refazer a vida da família no país da cucanha, da fartura, como diziam nas propagandas da época. Não faziam ideia que iriam ajudar a fundar uma NOVA Trento. Na Colônia Nova Trento, 1876 a família Dalri se estabelece na linha Vigolana, o Vígolo que conhecemos hoje.Por serem poucos os imigrantes da Val di Non em Nova Trento, a família recebe o apelido de nonesi, mantido até os dias atuais.Casto Dalri, o mais velho, auxilia a mãe assumindo o papel de ‘homem da casa’ nos cuidados da família e dos negócios. Exímio carpinteiro, agricultor, produtor de vinho, conciliador, tornou-se um homem respeitado na linha Vigolana.Em 1886, aos 33 anos de idade, Casto se casa com a viúva de Pietro Dalsenter, Domenica Orsi, de 30 anos de idade, com quem teve sete filhos: STANISLAO DOMENICO, MARIA, ANNA, LUIZA, GIACOMO e VITOR (gêmeos) e LUIZ.Além do sustento da casa exerceu sua liderança na comunidade vigolana. Foi um dos Conselheiros Municipais (vereador) quando em 1892, junto com políticos como Henrique Carlos Boiteux, Francisco Gottardi Primo, Hipólito Boiteux, João Valle e Giacomo Poli, encabeçaram o processo de emancipação política da colônia Nova Trento a condição de município.

Fotos Sidnei Zanella. Postagem: Jonas cadorin

JOSÉ GASPERI E MARIA VOLTOLINI

2019-10-21 18.06.32Foto do quadro de casamento de José Gasperi e Maria Voltolini

Foto cedida por Luís Bastiani. Postagem Jonas Cadorin

Casa dei Nonni São Valentim

A primeira escola construída em São Valentim foi de madeira e ficava ao lado da igreja. A iniciativa da construção foi dos irmãos Cerilo, Augusto e José Eccher da família Eccher. A atual escola sofreu reformas para dar lugar a Casa Dei Nonni João Eccher em São Valentim com uma área de 228 m².

Fonte: Professor Édio Mazera

08-casa-dei-none

Antigo Noviciado e juvenato das Irmãzinhas da Imaculada Conceição

2019-10-16 14.43.10

Prédio e capela do Noviciado(fase de estudos da vida religiosa que antecede a profissão dos primeiros votos de pobreza ,castidade e obediência), construído no ano de 1918. desde 1937 passou a funcionar como juvenato (  fase preparatória para ingresso à vida religiosa)

2019-10-16 14.06.19

Inauguração da ampliação do Juvenato construída em 1941(salas para aula e dormitório).  Posteriormente o mesmo prédio abrigou o GOT – Ginásio Orientado para o Trabalho. Na época havia uma área esportiva defronte ao prédio. Hoje o prédio serve para encontros e pousada- CEI-   Centro de Encontros Imaculada Conceição fazendo frente com a rua dos Imigrantes aberta nos anos de 1980.

Fonte: Esboço Histórico da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição-1895-1945. Postagem: Jonas Cadorin

 

ÂNGELA SABINA BOTTAMEDI – 1ª SUPERIORA GERAL DAS IRMÃNZINHAS

 

2019-10-11 14.11.54“Em 18 de setembro de 1879,rejubilava de intensa alegria o lar abençoado de João Bottamedi e Júlia Cornali, pelo nascimento de Ângela Sabina, que, nos desígnios de Deus estava destinada a ser uma  coluna inquebrantável na Congregação das Irmãnzinhas da Imaculada Conceição. ” Foi batizada pelo Padre Augusto Servanzi, jesuíta. Ingressou na vida religiosa aos 19 anos em 02 de abril de 1898. No dia 19 de março de 1900 proferiu os votos religiosos e assumiu seu nome religioso como era de costume na época, passando-se a se chamar de Irmã Vicência Teodora da Imaculada Conceição. Em 29 de agosto de 1909, por ocasião do Capitulo Geral da Congregação foi indicada pelas irmãs a assumir o cargo de Superiora Geral. faleceu aos 52 anos de idade no dia 28 de setembro de 1931.

Fonte: Esboço Histórico da Congregação das Irmãnzinhas da Imaculada Conceição 1895 -1945     Postagem:Jonas Cadorin

Conselho Municipal de Nova Trento 1925

2019-10-04 10.17.30

No centro major Joaquim de Oliveira, presidente do Conselho Municipal ladeado pelo Sres. João Bayer Sobrinho e Luiz Busnardo. em pé, da esquerda para a direita, Sr. Romeu Boiteux Piazza e Pedro Piva.( O Conselho Municipal corresponde ao que hoje temos como Câmara de Vereadores)

Fonte: Monografia de Francsico Mazzola, postagem : Jonas Cadorin

 

 

CASAMENTO DE MARIS STELLA CADORIN E JOSÉ DINIS DALRI

2019-09-27 14.49.09

Maris Stella, com um ramalhete de camélias. A camélia também era conhecida como a flor da fidelidade. A daminha de honra é  Zita Busnardo. Os casamentos, em geral eram celebrados aos sábados antes do meio dia. em seguida era servido o almoço e a festa se prolongava até o inicio da noite. a falta d energia elétrica fazia com que as festas terminassem cedo por este motivo aproveitavam a luz do dia. Ao fundo a antiga porta de madeira da igreja matriz com as iniciais da Companhia de Jesus – Jesuítas: AMDG (Ad Maiorem Dei Gloriam – Para a maior gloria de Deus)

Colaboração: Sidnei Zanella. Postagem e comentários: Jonas Cadorin

Santino Voltolini

Santino Voltolini

No dia 27 de julho de 1977 veio à capital catarinense o general João Batista de Oliveira Figueiredo para pedir apoio a sua candidatura ao cargo de presidente da República. Figueiredo foi o último presidente militar e governou de 1979 a 1985. Em primeiro plano aparecem, da direita para a esquerda, Esperidião Amim, o futuro presidente Figueiredo, Ênio Laus, prefeito Santino Ludovino Voltolini (Nova Trento) e Miguel Faraco (secretário executivo da Associação dos 22 Municípios da Grande Florianópolis). Atrás estão o prefeito Mário José Koerich (Águas Mornas), vice-prefeito Amaro Lúcio da Silva (Rancho Queimado), prefeito Adílio Inácio de Abreu (Garopaba), vereador Manoel Certório Alves (São João Batista) e vice-prefeito Orlando Pauli (Antônio Carlos).

Importante registrar que Manoel Certório Alves era do Timbé e emprestou seu nome para denominar o ginásio de esportes Manecão, de São João Batista. Ênio Laus era vice-prefeito de Canelinha e estava no exercício do cargo de titular, em razão de uma licença do prefeito Sergio Jachowicz, seu primo. Ênio foi eleito prefeito em 1982.

fonte Jornal razão Tijuquense,14.102016. Foto de Valter Pacheco. Postagem Jonas Cadorin