1991- ENTRONIZAÇÃO DA ESTÁTUA DE MADRE PAULINA NA IGREJA MATRIZ

Dia 20 de outubro de 1991. Prcissão com a estátua saindo do Cenro Encontros Imaculada Conceição em direção à igreja. Na foto o maestro Moisés Cipriani conduz a banda. N a calçada o saudoso, sempre alegre e prestativo Janari Piva.
Fonte: Anuário IIC 1991. postagem : Jonas Cadorin

CORPUS DOMINI -CORPUS CHRISTI – 1979

A festa do Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV no dia 8 de Setembro de 1264. O significado católico da festa refere-se a procissão como lembrança da caminhada do povo de Deus, peregrino, guiado por Moisés, em busca da Terra Prometida. O Antigo Testamento diz que o povo peregrino foi alimentado com maná, no deserto. Com a instituição da eucaristia a comunidade católica é alimentada com o próprio corpo de Cristo.

O trajeto da procissão é enfeitado com tapetes com motivos(desenhos) diversos preenchidos com serragem colorida, cal, pó de café, tampinhas de garrafa recobertas com papéis prateados/dourados, flores típicas do mês de junho, retalhos de tecido coloridos. Toda a comunidade se mobilizava para a festa guardando materiais durante o ano, doando flores e na madrugada do dia do Corpus Domini, geralmente muito fria, todos saiam à rua para enfeitar a frente de suas casas. Uma grande festa dentro de outra grande festa! Os estudantes e professores do colégio também participavam ativamente da ornamentação do trajeto.

Terminada a missa o cortejo saia da igreja com seis homens vestindo paletó , carregando o baldaquim, (cobertura de panos finamente bordados). O padre ia debaixo com vestes festivas(capa magna) expondo o ostensório dourado com uma hóstia consagrada ao centro. Crianças vestidas de anjos abriam o caminho que seria pisado por Deus feito homem na forma de pão, o Pannnis Angelicus. A banda padre Sabattini e o coral companhavam o cortejo tocando músicas próprias para a ocasião como o Tantum Ergum Sacramentum (Tão sublime sacramento). A procissão fazia três paradas em pontos específicos com altares caprichosamente enfeitados- e o padre proferia uma benção com o ostensório em meio a fumaça perfumada exalada do turíbulo que era levado pelos coroinhas(theregoti). Fogos de artífio eram explodiam no ar a cada para. A procissão finalizava em frente a igreja com uma benção final e mùsicas da banda. (Importante lembrar que foi na festa de corpus domini de 26 de junho de 1889, que cinco musicos da região de Blumenau,a convite do padre Angelo Sabattini, animaram a procissão. A apresentação foi a mola propulsora pra a fundação da banda em outubro do mesmo ano(132 anos ). O grupo I Pargoleti também foi fundado num dia de festa de Corpus Domini no ano de 2007 (14 anos).

As fotos abaixo foram cedidas do acervo do colégio Francisco Mazolla. Além das pessoas que cada um poderá identificar, algumas in memoriam) é pssivel também observar algumas aspectos das casas, prédios e estabelecimentos comerciais da época.

Postagem e cometário: Jonas Cadorin

MÚSICOS DA BANDA PADRE SABBATINI 1950-1960

Precioso registro fotográfico da Banda Musical Padre Ângelo Sabbatini, fundada no dia 08/10/1889, possivelmente realizado entre as décadas de 1950 e 1960.
Pelo local onde os músicos e alguns assistentes encontram-se embaixo de uma barraca, o registro fotográfico deve ter sido realizado durante breve descanso quando da apresentação da banda abrilhantando festividade de local desconhecido e sem data definida.
Sentados da esquerda para a direita : O Srs. Luiz Virgílio Tomasi(bombardino), Conradi, Arthur Sgrott ( clarinete), João Valle, Jordão Cadorin e Aprígio Bottameli (clarinete), desconhecido, Francisco Cadorin(trompa), Fernando Luiz Tomasi (trompete), e Fernando Cadorin(trompa).
Em pé da esquerda para a direita : Desconhecido, Assis Cadorin(trompa), Virgílio Tomasi(trombone), Ricardo Piazza(bumbo), desconhecido. Antônio Guedes com o Chocalho, encoberto está o baterista Mario Ceccato e João Cadorin (baixo tuba).

Fonte : Godofredo Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

JARDIM DA INFÂNCIA Pe. ROSSI -1966

Na foto Padre Luis Petry e a irmã diretora do Jardim em foto comemorativa defronte a igreja matriz no dia 7 de setembro de 1966 com seus mais de setenta alunos.( Alguns estão com a faixa verde amarela). na foto identifiquei Roque Borgonovo, Joe Piazza e sua irmãzinha(a menor bem na frente da foto), os irmãos Jânio e Jonas Cadorin, Amilton Tridapalli, Sônia Valle. ( Se alguém lembrar da nominata completa é só mandar que publicamos)

Foto: padre Flávio Feller. Publicação e comentário: Jonas Cadorin

1963 – JARDIM DA INFÂNCIA PADRE ROSSI

Muito antes que se falasse em pré escola, em Nova Trento os padre jesuítas em parceria com as Irmanzinhas da Imaculada Conceição, ofertavam à comunidade neotrentina atividades às crianças no Jardim da Infância padre Rossi. Diz a Crônica dos Jesuítas. que foi fundado no dia 29 de fevereiro de 1954. Primeira diretora Ir. Clélia auxiliada pela ir. Adelina. Quem benzeu foi o Pe. Lidvino Santini SJ e houve a presença das autoridades e da Banda Sabatini. Funcionava no prédio do salão paroquial, defronte à igreja matriz. “Jardim de infância é um termo criado pelo alemão Friedrich Froebel (1782-1852), que foi um dos primeiros educadores a se preocupar com a educação de crianças. Na tentativa de criar um espaço singular para que um tipo especial de educação fosse realizado por algum tempo pensou em uma palavra que pudesse explicar esse espaço, denominado por ele Kindergarten, ou “Jardim de infância” em português. A ideia de criar um “jardim da infância” parte do princípio de que as crianças devem ser cultivadas e cuidadas assim como os jardineiros participam no processo de desenvolvimento das plantas.”

Foto e informações: padre Flávio Feller e Wikipédia. Postagem Jonas Cadorin

1995- CASA PAROQUIAL – SEMINÁRIO

Padre Ludovino Santini com um grupo de seminaristas menores diante da casa casa paroquial dos padre jesuítas em Nova Trento . Os seminaristas vestem uniforme escolar com as insígnias da Cruzada Eucarística ou Congregação Mariana (a falta de nitidez da foto não preminente precisar ). No frontispício da casa o monograma JHS – Iesus Hominum Salvator” (Jesus Salvador dos Homens). Este monograma é formado pelas três primeiras letras da palavra Jesus em Grego, Ihsus. O símbolo foi criado por São Bernadino de Sena, no século XV, e posteriormente foi adotado por Santo Inácio de Loyola, em meados do século XVI. A casa localizava-se na lateral esquerda da atual igreja matriz e iniciava onde está construída a casa do ex prefeito Santino Ludovino Voltolini. Próximo ao poste da iluminação pública está afixado um quadro com a imagem do, então papa, Pio XII ( pontificado de 1939-1958)

Foto: Padre Flavio Feller. Postagem e comentário: Jonas Cadorin

PROCISSÃO – BANDA PADRE SABATTINI

Procissão da Congregação Mariana acompanhada pela Banda Padre Sabattini. Os congregados marianos exibem a fita (azul) com a medalha. Carregam um andor com uma imagem (suponho ser a do fundador do movimento, o jesuíta Jean Leunis – 1563). Na frente, com as vestes festivas para cerimônias especiais, o padre José Da Poian e dois acólitos(coroinhas ou como diziam no dialeto: theregoti). Mulheres(adultas e meninas) formavam uma fila(com vestidos que cobriam os braços e altura da saia bem abaixo do joelho, dentro da igreja sempre usavam um véu para cobrir a cabeça) e os homens(adultos e meninos) formavam outra fila (trajando o terno completo – paletó, gravata, colete, calça de ‘tergal” e sapato fetos nas sapatarias da cidade, sob encomenda. Muitos só tinham este terno que em geral havia sido usado para o casamento e que os acompanharia como roupa fúnebre). A data da foto é da década de 60, período em que o padre Da Poian atuou em Nova Trento.

foto: acervo da banda padre Sabattini. Postagem e comentário:Jonas cadorin

ENSAIO DO CORAL TRADIÇÃO – 1988

Coral Tradição do Circolo Trentino de Nova Trento, 1988, regido pelo maestro Elói Tell
O coral executava canções em dialeto, algumas da tradição neotrentina, outras do repertório do coro da SAT (Società degli Alpinisti Tridentini) o mais famoso dos coros de vozes masculina que cantavam os cantos de montanha)

fotos: Othmar Seehauser e Bruna La Lago Veneri , in L’Odissea Brasiliana.1988. Postagem: Jonas Cadorin