2000 – PEDRA FUNDAMENTAL DA CAPELA MORTUÁRIA

Até o ano 2000 o costume de velar os defuntos era feito em casa,em geral na sala. Os mais antigos fazia a ‘eça’ utilizando uma porta da casa, apoiada sobre duas cadeiras enquanto o caixão era confeccionado e forrado com tecido preto ou branco na casa de algum marceneiro da cidade . Com o advento das funerárias na década de 1970, os caixões começaram a ser padronizados e acrescidos de adereços ou detalhes que faziam com que o preço oscilasse de acordo com o gosto e as posses dos familiares. O cortejo fúnebre saia da casa do falecido até a igreja matriz. Depois da missa de corpo presente era conduzido ao cemitério levado por familiares.( Tempo mais tarde pelos carros funerários. )A procisão era encabeçada por alguém carregandouma cruz( o ‘Duci Mutcho’ fez esta função por muitos anos), em seguida o caixão seguido do padre, familiares e muitas vezes pela banda padre Sabattini. No ano de 2000, no mandato do prefeito Saul Jose Rover e seu vice Jorge Bruno Ferrarro,(1997-2000), foi lançada a pedra fundamental da atual capela mortuária nas imediações do cemitério municipal. O projeto foi assinado pelo engenheiro Alfredo Cadorin. Desde então, os velórios acontecem neste local que dispoe de toda a estrutura para acolher os familiares e amigos que se reunem para prestar as últimas homenagens aos seus entes queridos.
Assinando a ordem de serviço, o vice prefeito Jorge B.Ferraro. Atrás o padre José Vollmer, Luiz Feller(Didi), Alvaro Polli

Fonte e postagem: arquivo pessoal Jonas Cadorin

1999 – CANTINA ITALIANA – NOVAS INSTALAÇÕES

No ano em que comemorou seu sétimo aniversário os proprietários do restaurante Cantina Italiana inauguraram, no dia sete de setembro de 1999, na rua dos Imigrantes, suas novas instalações oferecendo também os serviços de pousada. Antes o restaurante funcionava onde hoje está o prédio da câmara de vereadores de Nova Trento.

D a esquerda para a direita: Realina (primeira dama), André, Bruna, Marli e Agostinho Orsi (Guengue), Saul Rover (prefeito)

BAIXO SALTO – VOCAÇÕES RELIGIOSAS

foto do quadro das vocações do bairro Baixo Salto, capela de santo Antino de Pádua por ocasião do aniversário de 50 anos. A religiosidade praticada nas famílias, associada ao trabalho persistente dos padres jesuítas fez daquela comunidade um verdadeiro celeiro de vocações. Chama á atenção a família Adami com sete irmãos seguindo a vida religiosa: IRª. AMÁLIA ADAMI, Pe. LEOPOLDO ADAMI, Pe. LUIZ ADAMI, Irº. FIORENTINO ADAMI, Irº VIRGILIO ADAMI, Irª AMÉLIA ADAMI, ADÉLIA ADAMI;

Pe. EGIDIO BARAUNA; Irmãs; BENTA FLORIANI, CONSTANTINA TRIDAPALLI, CECILIA ROVER, MARIA MANTOVANI, INÊS BARAUNA, MARIA GIOZELE, …GALVAN, MARIA BARAUNA, MARILETE ROVER, CESIRA ANNA ARMELINI, JOANITA VOLTOLINI MODESTA DELLAGNELLO, ANGELICA ROSA ( Obs. alguns nomes estão apagado o que dificultou a identificação. Aceito correções que podem ser feitas no ‘balão’ no lado superior direito desta postagem)

FOTO E POSTAGEM: JONAS CADORIN

CÂMARA DE VEREADORES GESTÃO 1989 – 1992

Sentados, da esquerda para a direita: Valdemir luiz Quaiatto, Pedro Piva Junior (Pedrinho, vice prefeito) Rogério ( Géio) Bottamedi, Janari piva .
De pé da esquerda para direita: Valentim José Marcolla, Alinor Gualberto Muller, Dorvalino Pereira, Jorge Bruno Ferraro, Saul José Rover (prefeito gestão 1989-1992), Sandra Eccel Rachadel, , Luiz José Borgonovo (Gioaba).

Fonte: Informativo da paróquia São Virgílio, janeiro 1989 – Postagem Jonas Cadorin

BANDA PADRE SABBATTINI 1889 -1999

Fundada em 1889 pelo padre Ângelo Sabbatini, a banda comemorou 110 anos no ano de 1999 na gestão do prefeito Saul José Rover. A foto acima, em frente ao atual sítio Vita Sul Monte, foi publicada no jornal Pastorais em Ação da paróquia de Nova Trento em junho daquele ano.

Postagem: Jonas Cadorin

ÂNGELO MAURICI

Ângelo Maurici nasceu em Nova Trento em 1900 e morreu em 1971. Foi o primeiro motorista de ônibus na cidade. Foi também o fundador da empresa Transporte Coletivo Maurici. Posteriromente a empresa foi vendida ao Sr. Atilio Batistotti da cidade de Brusque.No ano de 1992, quando Nova Trento comemoru cem anos de emancipação política, na gestão do prefeito Saul Rover, foi inaugurado o terminal rodoviário no bairro Besenelo, que leva seu nome por indicação do então vereador Valdemir Luiz Quaiato.

Fonte : Jornal Correio Regional,07.08.1992. Postagem : Jonas Cadorin