PADRE OSCAR HARTMANN + 08.05.1974

Pe. Oscar foi pároco de Nova Trento nos anos 1955 a 1960. Depois foi reitor do seminário jesuíta .No dia 08.05.1974, vitima de um enfarto, aos 60 anos, foi encontrado morto no sofá do seu escritório, as 11horas da manhã. Estava rezando o breviário. Era um padre ,estimado pela população que o acolheu durante 18 anos de trabalho na paróquia. Muita gente participou de seus funerais. A foto fúnebre, foi distribuida para as famílias. Assim que tivermos um exemplar postaremos. Na fotopadre Oscar conversa sobre algo engraçado com seminaristas de 12, 13 anos de idade do seminario de Nova Trento.

Fonte:História das Casas.Um resgate histórico dos jesuítas no sul do Brasil , Pe. Inácio Spohr, p.160. Postagem: Jonas Cadorin

1974 -FUNDAÇÃO DO CORAL SÃO VIRGÍLIO

O coral foi fundado elo irmão jesuíta Guido Lawisch no ano de 1974. A foto acima é do dia 26.10.1975 quando o coral se apresentou na missa da TV Difusora de Porto Alegre e no santuário do Sagrado Coração de Jesus em São leopoldo.
23.05.1976 -Coral são Virgilio se apresentou na capela de Boa Vista, Santa Cruz do Sul, por ocasião dos votos perpétuos do Ir Guido.
23.05.1976 – Ir. Guido com sua mãe e irmã. Além dos coralistas se fizeram presentes o prefeito Eurides Battisti e o padre vigario Otmar

Colaboração: album de família da Srª Lauda Cadorin Sartori. Postagem: Jonas Cadorin

1939 – Padre José Da Poian -Vigário

Ficha de registro de estrangeiros no período que antecedeu a 2ª guerra Mundial do padre José Da Poian, vigário , na época, em Nova Trento. Nas observações ficou registrado o ano em ele passou a residir no em Pelotas no Rio Grande do Sul(1941 a 1945)> Estrangeiro, em especial italianos e alemães foram vigiados durante o período da guerra.

Fonte: Godofredo L. Tonini. Postagem e comentário: Jonas Cadorin

BAIXO SALTO – VOCAÇÕES RELIGIOSAS

foto do quadro das vocações do bairro Baixo Salto, capela de santo Antino de Pádua por ocasião do aniversário de 50 anos. A religiosidade praticada nas famílias, associada ao trabalho persistente dos padres jesuítas fez daquela comunidade um verdadeiro celeiro de vocações. Chama á atenção a família Adami com sete irmãos seguindo a vida religiosa: IRª. AMÁLIA ADAMI, Pe. LEOPOLDO ADAMI, Pe. LUIZ ADAMI, Irº. FIORENTINO ADAMI, Irº VIRGILIO ADAMI, Irª AMÉLIA ADAMI, ADÉLIA ADAMI;

Pe. EGIDIO BARAUNA; Irmãs; BENTA FLORIANI, CONSTANTINA TRIDAPALLI, CECILIA ROVER, MARIA MANTOVANI, INÊS BARAUNA, MARIA GIOZELE, …GALVAN, MARIA BARAUNA, MARILETE ROVER, CESIRA ANNA ARMELINI, JOANITA VOLTOLINI MODESTA DELLAGNELLO, ANGELICA ROSA ( Obs. alguns nomes estão apagado o que dificultou a identificação. Aceito correções que podem ser feitas no ‘balão’ no lado superior direito desta postagem)

FOTO E POSTAGEM: JONAS CADORIN

Pe. FAUSTINO JOSÉ TONINI *1943 +2021

Ordenação sacerdotal de Faustino José Tonini em 1975
 
Faustino José Tonini, nasceu em 04 de agosto de 1943. Ingressou no seminário de Nosa senhora de Sion em Castro, no Paraná, aos 10 anos de idade. Foi ordenado Sacerdote em 06 de abril de 1975. A cerimônia ocorreu na igreja matriz de Nova Trento . Na foto, ao fundo , o padre Otmar Jacob Schwengber, S.J. vigário na época. Padre Faustino era filho de Elísio José Tonini e Benta Battisti Archer que casaram em 14 de fevereiro de 1942 e tiveram os filhos: Faustino (Belinho), Ester Maria (Neneca, in memoriam), Luiz Antonio (Tonica, in memoriam), Godofredo (Godoi) e Sálvio (Bereco).    Foto: Ruth Perreira Battisti Archer( livro: Além dos Horizontes)
Foto da celebração da 1ª missa (foto godofredo L. Tonini)
Faleceu no dia 08 de abril 2021, ao 78 anos, em são Paulo (Foto: Andreia Soares)
Cerimônia de Casamento de Ana Sgrott (foto do arquivo de Ana Sgrott)

Postagem e comentários Jonas Cadorin

1995- CASA PAROQUIAL – SEMINÁRIO

Padre Ludovino Santini com um grupo de seminaristas menores diante da casa casa paroquial dos padre jesuítas em Nova Trento . Os seminaristas vestem uniforme escolar com as insígnias da Cruzada Eucarística ou Congregação Mariana (a falta de nitidez da foto não preminente precisar ). No frontispício da casa o monograma JHS – Iesus Hominum Salvator” (Jesus Salvador dos Homens). Este monograma é formado pelas três primeiras letras da palavra Jesus em Grego, Ihsus. O símbolo foi criado por São Bernadino de Sena, no século XV, e posteriormente foi adotado por Santo Inácio de Loyola, em meados do século XVI. A casa localizava-se na lateral esquerda da atual igreja matriz e iniciava onde está construída a casa do ex prefeito Santino Ludovino Voltolini. Próximo ao poste da iluminação pública está afixado um quadro com a imagem do, então papa, Pio XII ( pontificado de 1939-1958)

Foto: Padre Flavio Feller. Postagem e comentário: Jonas Cadorin

CATHARINA MAZZOLA

Catharina Mazzola,* 25.11.1913 – +07.05.2003. Também conhecida como tia Ceci, foi a segunda esposa de Jordão Cadorin de 1968 a 1975 quando este veio a falecer. Foi dama de companhia do seu enteado padre Cláudio Cadorin.

Postagem: Jonas Cadorin

ADULCI FELLER – ‘MUTCHO’

thumbnail_20200721_183056Adulci Feller, * 01.02.1937  + 21.05 2009. Solteiro, um devoto incondicional de Nossa Senhora do Bom Socorro, sempre acompanhava o saudoso padre Cláudio Piva  nas atividades que envolviam o santuário. Era muito comum encontrá-lo com um saco onde recolhia donativos para o santuário. No enterros e procissões  posicionava-se à frente carregando a cruz. Entusiástico admirador da banda padre Sabattini era o que inciava os aplausos após as apresentações seguido de um “VIVA Ô…” ao maestro. Marcou a comunidade por ser um cidadão de vida simples, sem estudos,sempre solícito, sem posses, sem segundas intenções , um homem adulto, de 72 anos, com alma de criança que viveu a fé cristã como orientação de vida.

Foto: Lápide do cemitério Central de Nova Trento. Postagem e comentário: Jonas Cadorin

PROCISSÃO – BANDA PADRE SABATTINI

Procissão da Congregação Mariana acompanhada pela Banda Padre Sabattini. Os congregados marianos exibem a fita (azul) com a medalha. Carregam um andor com uma imagem (suponho ser a do fundador do movimento, o jesuíta Jean Leunis – 1563). Na frente, com as vestes festivas para cerimônias especiais, o padre José Da Poian e dois acólitos(coroinhas ou como diziam no dialeto: theregoti). Mulheres(adultas e meninas) formavam uma fila(com vestidos que cobriam os braços e altura da saia bem abaixo do joelho, dentro da igreja sempre usavam um véu para cobrir a cabeça) e os homens(adultos e meninos) formavam outra fila (trajando o terno completo – paletó, gravata, colete, calça de ‘tergal” e sapato fetos nas sapatarias da cidade, sob encomenda. Muitos só tinham este terno que em geral havia sido usado para o casamento e que os acompanharia como roupa fúnebre). A data da foto é da década de 60, período em que o padre Da Poian atuou em Nova Trento.

foto: acervo da banda padre Sabattini. Postagem e comentário:Jonas cadorin