HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO DA FAMÍLIA DARÓS

Recebemos do Leandro Luis Daros, a HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO DA FAMÍLIA DARÓS.

Era janeiro de 1878, inverno na Itália recém unificada. A Crise econômica e a fome (carestia) fizeram com que milhares de italianos imigrassem para Austrália, América do Norte e Sul. Umas dessas famílias foi a Darós, que deixou a “comune” de Serravalle (atual cidade de Vittorio Veneto, Treviso) a bordo do Vapor Portena em direção ao Rio de Janeiro. Na viagem de 21 dias a bordo do vapor cruzando o oceano Atlântico o capitão Robert escreve em seu diário de bordo: “o número embarcado nesse vapor é de 590, sendo 514 italianos e 76 austríacos. Duranta a viagem morreram 9”.
 
O patriarca e aquele que dá origem à família Darós em Nova Trento é Andrea Daros, à época (1878) com 32 anos. Veio acompanhado de sua esposa Pasqua, então com 26 anos, e dos filhos: Francesco (5 anos), Antonio (2 anos), Antonia (3 meses) e Gio-Batto (3 anos). O nome Gio-Batto trata-se de apelido de Giovanni Battista. No mesmo vapor Portena também estavam o sogro e sogra de Andrea Daros e outras famílias tradicionais de Nova Trento (Cadorin, Sartori, Ferrari, etc).
 
Não é claro na história o motivo da família Darós (do italiano Da Ros) oriunda do Veneto ter se fixado em Nova Trento, já que a maioria dos imigrantes do Veneto foram para o sul de Santa Catarina. Acredita-se que na chegada ao Rio de Janeiro tenham sido incluídos em um grupo de Trentinos que seguia para o sul.
 
Abaixo foto da capa do diário de bordo do vapor Portena e dos nomes da família Darós. 
Registro FamiliaVapor Portena

Saudações,


Leandro Luis Daros

 

Gostaríamos de agradecer a todas as colaborações. Estamos sempre a disposição no e-mail alferont@gmail.com

 

Anúncios

Nova Trento - Al Fero (1)

Da esquerda para direita: (José Bepi Darós) rodeado de seus dois filhos Luiz (padre) e Vital (irmão Marista), em junho de 1947 em São Paulo, época em que os filhos eram aspirantes a vida religiosa.
Arquivo: Celico e Querubina Darós Mazzola.

Cozinha do Colégio (1976)

Da esquerda para direita: Newton Benvenuto Cadorin, Afonso Sgrott, Maria Raulino, Rosinha Archer, Benta Tonini, Querubina Daros Mazzola. A criança é Rejane Mazzola.

A foto foi realizada na cozinha do Colégio Francisco Mazzola, em 1976, no dia 7 de setembro. O momento era o dos preparativos para a entrega do cobiçado lanche que todos recebiam depois do desfile: laranjinha Max Wilhelm e uma massinha! As senhoras eram as serventes do colégio. Quem não conheceu uma delas? Quantas histórias!

Foto cedida por: Querubina Darós Mazzola.

Apresentação de Natal no Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro, década 1980

Nova Trento

 

Nova Trento – Década de 1980

Na imagem, encenação de Natal no Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro. O costume era inspirado no Canto da Estrela, tradição tirolesa trazida para Nova Trento pelos imigrantes.
Representavam os Reis Magos: Guilherme Daros, Eloi Tel, Antônio Cipriani.
Antes das apresentações, os trajes e ensaios eram realizados na casa do Senhor Antônio Cipriani (Toni).
Não aparecem na foto os músicos e coro, mas faziam parte, Virgílio Tomasi, Moisés Cipriani, Artur Sgrott, Rinaldo Eccel, Ludovico Cadorin, João Cadorin, Dimas Tel….
Outras pessoas da comunidade também acompanhavam as apresentações.

Colaboração: Alexandre Aldo Cipriani