ANDREA DAROS

2018-07-31 15.31.292018-07-31 15.37.12

Andrea Daros, 1928, do livro  A saga dos Daros, de Jorge Daros. “O patriarca e aquele que dá origem à família Darós em Nova Trento é Andrea Daros, à época (1878) com 32 anos. Veio acompanhado de sua esposa Pasqua, então com 26 anos, e dos filhos: Francesco (5 anos), Antonio (2 anos), Antonia (3 meses) e Gio-Batto (3 anos). O nome Gio-Batto trata-se de apelido de Giovanni Battista. No mesmo vapor Portena também estavam o sogro e sogra de Andrea Daros e outras famílias tradicionais de Nova Trento (Cadorin, Sartori, Ferrari, etc).

Postagem, Jonas Cadorin

Anúncios

FILHOS DE VIRGÍLIO FACCHINI

Foto família Facchini

Virgílio Facchini e Giuseppina (Josefina) Darós se reuniram para uma foto. São eles, da esquerda para a direita:Benilde Maria, Genésio Antonio, Maria Ana, Valentim Antonio, Adelaide Maria, Dalila e Marina.

Foto cedida por Elis Facchini

LEDA ZANLUCA DARÓS, CHARLES ALEXANDRE PIAZZA MARIA DO ROSÁRIO BATISTTI ARCHER BORGES

transferir

Registro fotográfico realizado no pátio da casa dos meus saudosos pais, quando ainda residíamos na rua João Bayer Sobrinho, Nova Trento, na década de 1970, lugar maravilhoso. a menina de vestido branco é a Sra. Leda Zanluca Darós, a criança é o Charles Alexandre Piazza, meu sobrinho e a sra. Maria do Rosário Batistti Archer Borges(Bica).  Foto e comentário: Godofredo Luiz Tonini  ( a casa foi demolida há alguns anos, ficava ao lado do atual  consultório do Dr. Tomás)

VIRGILIO FACCHINI e JOSEFINA DARÓS

3FB_IMG_1509668150267Virgílio Facchini ( nascido em 01.11.1913), casado com Josefina Darós. Foto do dia do casamento. Residiram numa casa de esquina no entroncamento entre a rua João Bayer Sobrinho e o entrada do bairro Trinta Réis. Exerceu a profissão de alfaiate. Virgílio era filho de Giuseppe (José) Roberto Facchini e Adelaide Natalina Vendrame. Já Giuseppina (Josefina) Darós era filha de Giovanni Battista (Gio-Batto) Darós e Adelle Segalla.

Foto: Elis Facchini, álbum de família

HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO DA FAMÍLIA DARÓS

Recebemos do Leandro Luis Daros, a HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO DA FAMÍLIA DARÓS.

Era janeiro de 1878, inverno na Itália recém unificada. A Crise econômica e a fome (carestia) fizeram com que milhares de italianos imigrassem para Austrália, América do Norte e Sul. Umas dessas famílias foi a Darós, que deixou a “comune” de Serravalle (atual cidade de Vittorio Veneto, Treviso) a bordo do Vapor Portena em direção ao Rio de Janeiro. Na viagem de 21 dias a bordo do vapor cruzando o oceano Atlântico o capitão Robert escreve em seu diário de bordo: “o número embarcado nesse vapor é de 590, sendo 514 italianos e 76 austríacos. Duranta a viagem morreram 9”.
 
O patriarca e aquele que dá origem à família Darós em Nova Trento é Andrea Daros, à época (1878) com 32 anos. Veio acompanhado de sua esposa Pasqua, então com 26 anos, e dos filhos: Francesco (5 anos), Antonio (2 anos), Antonia (3 meses) e Gio-Batto (3 anos). O nome Gio-Batto trata-se de apelido de Giovanni Battista. No mesmo vapor Portena também estavam o sogro e sogra de Andrea Daros e outras famílias tradicionais de Nova Trento (Cadorin, Sartori, Ferrari, etc).
 
Não é claro na história o motivo da família Darós (do italiano Da Ros) oriunda do Veneto ter se fixado em Nova Trento, já que a maioria dos imigrantes do Veneto foram para o sul de Santa Catarina. Acredita-se que na chegada ao Rio de Janeiro tenham sido incluídos em um grupo de Trentinos que seguia para o sul.
 
Abaixo foto da capa do diário de bordo do vapor Portena e dos nomes da família Darós. 
Registro FamiliaVapor Portena

Saudações,


Leandro Luis Daros

 

Gostaríamos de agradecer a todas as colaborações. Estamos sempre a disposição no e-mail alferont@gmail.com

 

Nova Trento - Al Fero (1)

Da esquerda para direita: (José Bepi Darós) rodeado de seus dois filhos Luiz (padre) e Vital (irmão Marista), em junho de 1947 em São Paulo, época em que os filhos eram aspirantes a vida religiosa.
Arquivo: Celico e Querubina Darós Mazzola.