DESFILE CÍVICO DE 1980 – HOMENAGENS ESPECIAIS

thumbnail_20200614_194543Homenagem aos imigrantes

thumbnail_20200614_194458

thumbnail_20200708_182742thumbnail_20200614_194347

thumbnail_20200614_192048

Banda Padr Sabattini tendo à frente o maestro Virgilio Tomasi tocando trombonethumbnail_20200614_191929

Músicos que fizeram historia: Na primeira fila: Tutuca, Paulo ‘Alemão’ (Hartke),Moisés Cipriani, Érico Feller, Pinga. Na segunda fila: Antero Ribeiro, Artur sgrott, ?, ? Ricardo(Ricardim) Piazza. terceira Fila: Ludvco ‘Vick’ Cadorin, Norberto Ciprani, João Cadorin, Isaias Cadorin, ? Cipriani,…

thumbnail_20200614_191757

Presépio: uma das tradições(paixões) neotrentinasthumbnail_20200614_191649

thumbnail_20200614_185652

Homenagens aos jogos olímpicosthumbnail_20200614_185448thumbnail_20200614_184123Homenagem aos agricultores – colonos, mostrando seus trajes e ferramentas de trabalhothumbnail_20200614_183945Os Reis Magos. Figuras imprescindiveis do presépio e das serenatas de Natalthumbnail_20200614_183849

thumbnail_20200708_182900thumbnail_20200708_183018

CASTO DALRI E DOMENICA ORSI

Entre tantos imigrantes que em 1875 embarcaram nos navios a vapor rumo ao Brasil estava Anna Stringari, viúva de Giacomo dal Ri, da Comune di Nanno.

Sem esperança de dias melhores naquela região e com cinco filhos para sustentar – Casto, Crescenzo, Angela, Romana e Ermínia – veio com o objetivo de refazer a vida da família no país da cucanha, da fartura, como diziam nas propagandas da época. Não faziam ideia que iriam ajudar a fundar uma NOVA Trento. Na Colônia Nova Trento, 1876 a família Dalri se estabelece na linha Vigolana, o Vígolo que conhecemos hoje.Por serem poucos os imigrantes da Val di Non em Nova Trento, a família recebe o apelido de nonesi, mantido até os dias atuais.Casto Dalri, o mais velho, auxilia a mãe assumindo o papel de ‘homem da casa’ nos cuidados da família e dos negócios. Exímio carpinteiro, agricultor, produtor de vinho, conciliador, tornou-se um homem respeitado na linha Vigolana.Em 1886, aos 33 anos de idade, Casto se casa com a viúva de Pietro Dalsenter, Domenica Orsi, de 30 anos de idade, com quem teve sete filhos: STANISLAO DOMENICO, MARIA, ANNA, LUIZA, GIACOMO e VITOR (gêmeos) e LUIZ.Além do sustento da casa exerceu sua liderança na comunidade vigolana. Foi um dos Conselheiros Municipais (vereador) quando em 1892, junto com políticos como Henrique Carlos Boiteux, Francisco Gottardi Primo, Hipólito Boiteux, João Valle e Giacomo Poli, encabeçaram o processo de emancipação política da colônia Nova Trento a condição de município.

Fotos Sidnei Zanella. Postagem: Jonas cadorin

FAMILIARES DE SEMINARISTAS – S.N.S.B.S. – 1958

2019-03-27 07.48.48

Familiares de seminaristas que estudavam no Seminário São José da cidade de Castro – Parana, junto com o Diretor desse seminário o saudoso Padre Vital Bernini, num domingo de data desconhecida do ano de 1958, nas dependências do pátio do Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro, situado no Morro da Cruz na altitude de 525 metros.
Na primeira fila a esquerda para a direita encostados na pedra, os saudosos Srs. José Erbs, Jaime Voltolini e Horácio Raulino.
Na primeira flila da esquerda para a direita sentados, os saudosos Srs. Luiz Tomasi, Antonio Feller. (Tonho) e Francisco Cadorin.
Na segunda fila em pé da esquerda para a direita, os saudosos Padre Vital Bernini, Diretor do Seminário São José da cidade de Castro – PR., Elísio Tonini, meu pai e a saudosa Sra Dezola Voltolini Visentainer.
Na terceira fila em pé da esquerda para a direita, as saudosas Sras Bráulia da Silva Voltolini, Guidinha Tomasoni Voltolini, Maria Gorges Raulino, Albertina Tridapalli Erbs e Clodomira Alice Cobb da cidade de Castro – Pr, professora dos seminaristas.
A sra vestida de preto com a mão na frente da boca e rindo gostosamente de nome desconhecido, ao seu lado minha saudosa mãe Benta Battisti Archer Tonini.
Atrás de minha mãe na sequência as saudosas Iolanda Voltolini, Adelina Demonti Cadorin e Selina Voltolini Floriani, (Celene).
No meio das crianças com o chapéu na mão, o saudoso Sr. Antonio Voltolini (Toni).
As crianças apesar de conhecidas impossível nomina-las, devido não estarem em ordem regular.

Foto e comentário: Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

HUMAITÁ- BAILE DE CARNAVAL -1970

2019-03-26 11.47.34

Érico Bianchini (Neco), Maura Carolina Floriani Kortelt, rainha da Sociedade Recreativa Humaitá do ano de 1969, seu primo Nelson Visentainer e Armi Zilda Floriani Battisti Archer, rainha do carnaval do ano de 1970.

2019-03-26 11.22.50

Na frente da esquerda para a direita: de nome desconhecido, a rainha da Sociedade Recreativa Humaitá do ano de 1969, Maura Floriani Kortelt, seu esposo Osni Kortelt. Na fila de trás : Dilva Boso, Clarinda Tomasi, desconhecida, Judite Valle e José do Patrocinio Montibeller (Dedé). No canto superior a esquerda Elias Minatti.

2019-03-26-11.30.26[1]

Registro fotográfico de um dos três bailes carnavalescos realizados na sede social de propriedade da Sociedade Recreativa Humaitá – S.R.H., no ano de 1970.O prédio dessa sociedade localizava-se defronte ao seu campo de futebol, situado à Rua Prefeito Municipal Nicolau Bado. Da esquerda para a direita : ? Bottamedi, Hermes Plácido Mazzola, Armi Zilda Floriani Battisti Archer, rainha do carnaval do ano de 1970, seu esposo Emanuel Battisti Archer (Nelo) e Marinho Tomasi.

2019-03-26 11.27.19

O saudoso Sr. Carlos Tridapalli (Nene), a saudosa Sra Lina Carmelina Tomazoni, Armi Zilda Floriani Battisti Archer, rainha do carnaval da Sociedade Recreativa Humaitá do ano de 1970, os saudosos Sr. Glauco de Souza, sua esposa Sra Neide Tolomeotti de Souza e Orlandina Luchtemberg. Atrás mais a esquerda da fotografia, Tadeu Busnardo.

2019-03-26 11.35.55

 Na frente, da esquerda para a direita, Rosemira Montibeller (Miroca), Armi Zilda Floriani Battisti Archer, rainha do carnaval da Sociedade Recreativa Humaitá do ano de 1970, seu cunhado Osni Kartelt e Liria Cadorin Marchi. Atrás, bem a esquerda, Roberto Valle ( Betharra).

2019-03-26 11.32.28

Da esquerda para a direita ; O saudoso Jango Feller, ? Floriani, a saudosa Sra Selina (Celene) Voltolini Floriani, Emanuel Battisti Archer (Nelo), Armi Zilda Floriani, rainha do carnaval da Sociedade Recreativa Humaitá do ano de 1970, Leonir Feller, desconhecido, Vilma Feller e desconhecido.

Fotos e texto: Godofredo L. Tonini. Postagem Jonas Cadorin

 

 

 

Primavera x Humaitá

 

Da esquerda para direita:

Em cima: Valdir Piazza, Acis Cadorin, XXX Cecato, Altair Piazza, Roberto Vale, desconhecido, desconhecido, desconhecido, Miracir Vale, desconhecido, Godofredo Tonini, Cao Marchi, Maurilo Mazzola, Lola Dalbosco e Walter Feller.
Em baixo: Tarcizio Lorenzeti, Osmar Fachini, Otto Orsi, Gilberto Ruberti, Pedro Barauna, Oscar L. Sgrott, José Batisti Archer, João Luiz Orsi, Walter Dalbosco, Clides Michelli e Dico Dellantonia.

Colaboração: Oscar Lino Sgrott

INAUGURAÇÃO DO ALAMBRADO DA SOCIEDADE RECREATIVA HUMAITÁ 1970

44128938_510096229460086_4305947830863790080_o

Da esquerda para a direita : Deda Ceccato, ? , Godoi Tonini, Enio Feller (Correca), Dácio Piva, Geraldo Gessele (Pinga), Pedrinho Piva, Virgílio Maurici, Francisco (Chico), Maurilio Mazzola, Miralci Valle, Hermes Mazzola, Caracas, Moisés Mazzola, ?.
Com a bola, Tânia Piazza, na sua frente, a rainha da S.R.H., Izildinha Mazzola.          Registro fotográfico das festividades realizadas no dia em que foi inaugurado o alambrado do campo de futebol da S.R.H. – Sociedade Recreativa Humaitá da cidade de Nova Trento – SC., na década de 1970. Nesse dia o time de futebol da Sociedade Recreativa Humaitá jogou amistosamente contra a equipe do Caxias da cidade de Joinville, empatamos em 5×5, sendo o juiz da partida o Sr. Moacir Tirloni. Foi um dia muito chuvoso e para animar a festa se fez presente a Banda Musical Padre Ângelo Sabbatini. A população prestigiou esse evento, comparecendo maciçamente.
Foto e comentário de Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

 

DESFILE 07 DE SETEMBRO – 1972 – Colégio professor Francisco Mazzola

setesetembro

“1º – Da esquerda para a direita na frente :
Rosemira Lobo (Rose), Tarcísio Facchini (Ico), Maurilio Mazzola, Pedro Montibeller, Enio Feller (Correca), Ismar Voltolini, Oscar Archer (Oscarzinho), Alceu Dalbosco, saudoso Ernani Feller, Miralci Valle, José Moacir Rachadel (Leco), Aldo Hartke e Ana Maria Sgrott
2º – Da esquerda para a direita atrás :
Marcos Rachadel (Paco), Saulo Voltolini, Godofredo Luiz Tonini (Godoi), Deda Ceccato.
3º – Agachadas : Da esquerda para a direita :
Clarinda Tomasi, Maria Elizabete Archer (Bete) e Vera Valle.
Registro fotográfico realizado no pátio do antigo Colégio Normal Professor Francisco Mazzola, hoje nominado de EEB Francisco Mazzola, no dia 07 de Setembro de 1972, após o desfile do dia 07 de setembro.
Estávamos vestidos de preto e branco, pois fazíamos parte da bateria que dava o ritmo da marcha para os demais estudantes. As alunas faziam parte da comissão de frente do colégio, eram destaques.
Dos alunos (as) fotografados apenas 04 permanecem em Nova Trento, um faleceu, os outros 15 saíram da cidade em busca de trabalho, infelizmente perdemos excelentes profissionais.”                                                                                                                                          Foto e informações : Godofredo Tonini. Postagem : jonas Cadorin

CONGREGAÇÃO MARIANA – NOVA TRENTO – SC – 1901

43266169_508283219641387_6531217790475436032_n

“Registro fotográfico realizado diante da porta lateral da Igreja Matriz de São Virgílio, da cidade de Nova Trento SC.
da esquerda para a direita, na frente o Sr. Zelino Hoffmann, Padre José da Poian e Almir Feller, todos falecidos, atrás da esquerda para a direita, o saudoso Sr. Arthur Sgrott, os demais desconhecidos. Todos estavam usando a fita de congregado mariano.
O saudoso Sr. Almir Feller, faleceu vitima de um acidente de trabalho, acontecido na curva do Morro do Canhete ou da Cascata, onde hoje se localiza a Ferraria do Sr. Marinho Erbs, trabalhava com uma máquina de esteira, e esta caiu sobre ele, soterrando-o, era funcionário da nossa Prefeitura Municipal.CONGREGAÇÃO MARIANA – NOVA TRENTO – SC – 1901
A Congregação Mariana é uma associação pública de leigos católicos. É formada por cristãos católicos que procuram seguir melhor o Cristianismo através de uma vida consagrada à Mãe de Deus, a Virgem Maria.
A Congregação Mariana, no Brasil foi fundada na Bahia em 1583, pelo Beato José de Anchieta.
Em 1901, segundo o relato do Padre Arcângelo Ganarini, que esteve visitando o município de Nova Trento – SC., após 16 anos de sua saída, já estava implantada a Congregação Mariana, formada por jovens neotrentinos, hoje, não existe mais.”
Foto e comentário: Godofredo Tonini.   Postagem Jonas Cadorin

ESCOLA REUNIDA – BAIRRO TRINTA RÉIS – NOVA TRENTO – SC – 1966

escolatrintareisPrédio escolar onde funcionava a Escola Reunida Professor Francisco João Valle, no Bairro Trinta Réis, que ficava próxima a atual empresa Nélcia Noivas. Esse prédio de madeira foi construído durante a administração do Prefeito Municipal, o Sr. Luiz Feller, 1965 – 1966, em terreno doado pelo Sr. Carlos Ceccato. Tinha duas salas de aula, uma pequena cozinha e uma sala de Direção e banheiros. Lecionavam nessa escola as professoras, Srª Adelina Marchiori Minatti, Ester Maria Piazza, Maria Vitória Dalbosco Battisti Archer e Maria dos Anjos Cadore. Foi nomeada como primeira Diretora desta escola, a Srta Neli Maria Tirloni.                                                                                                          Fonte: Godofredo Luiz Tonini, postagem Jonas Cadorin