1964 – OS METRALHAS

Da esquerda para a direita : O saudoso Isaías Tomasi, Antonio Gullini, Célio Valle, Sálvio Osmar Tonini, o saudoso Antonio Tomasi (Toninho), Inácio Marchi, e o saudoso Julcemar Guedes.

Crianças : algumas das crianças da esquerda para a direita : O saudoso Ari Antonio Bottamedi com a mão na orelha, Gilson Ceccato que aparece somente parte do rosto, Ademar Maçaneiro (Maninho, ao centro de camisa estampada), Ilson Assis Valle (Chico), Salvador Afonso Sgrott e Cesar Augusto Dell’Antonio.

O Sr de chapéu que está na janela observando as crianças dançarem é o saudoso Sr. João Gessele (Joanin) e o personagem que aparece num quadro moldurado é o saudoso Sr. Ador Dalbosco, que foi um dos presidentes da Sociedade Recreativa Humaitá – S.R.H

Na época da Jovem Guarda quando começaram a surgir inúmeros conjuntos musicais pelo Brasil afora, a cidade de Nova Trento – SC., também tinha os seus conjuntos musicais destacando-se entre eles Os Metralhas e depois Os Batuskelas formado por jovens neotrentinos. Esses conjuntos animavam os bailes nos sábados à noite, as tardes dançantes de domingo e na época do carnaval os bailes carnavalescos na Sociedade Recreativa Humaitá e Sociedade Recreativa Primavera.

Na fotografia vemos o Conjunto musical Os Metralhas animando o carnaval infantil do ano de 1964, nas dependências da sede social da Sociedade Recreativa Humaitá – S.R.H. – Nova Trento – SC.

da esquerda para a direita : O saudoso Isaías Tomasi, Antonio Gullini, Célio Valle, Sálvio Osmar Tonini, o saudoso Antonio Tomasi (Toninho), Inácio Marchi, e o saudoso Julcemar Guedes.

CRIANÇAS : Identificando alguma das crianças da esquerda para a direita : O saudoso Ari Antonio Bottamedi com a mão na orelha, Gilson Ceccato que aparece somente parte do rosto, Ademar Maçaneiro (Maninho), Ilson Assis Valle (Chico), Salvador Afonso Sgrott e Cesar Augusto Dell’Antonio.

O Sr de chapéu que está na janela observando as crianças dançarem é o saudoso Sr. João Gessele (Joanin) e o personagem que aparece num quadro moldurado é o saudoso Sr. Ador Dalbosco, que foi um dos presidentes da Sociedade Recreativa Humaitá – S.R.H

Fonte:Godofredo L. Tonini (in perfil Facebook) Postagem Jonas Cadorin

DECADA DE 1960 – DONA GEMA TONINI

Registro fotográfico da Srª Gema Tonini Ceccato de fronte a casa de seu irmão, sr. Elísio Tonini, no inicio da rua João Bayer Sobrinho. Foi funcionária na função de tecelã da filial da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux da cidade de Brusque e trabalhava no período da tarde, das 13h30 as 22h00. A fabrica localizava-se no Bairro Cascata (hoje Pousada Portal do Vígolo). Usava a bicicleta como meio de locomoção percorrendo diariamente cerca de 6 km (ida e volta . Residia e ainda reside no bairro Trinta Réis – Ceccato Motos). O guarda chuva fazia era companhia inseparável tanto para chuva, quanto para o sol. Seu afiado senso de humor revela uma mulher incrível que não contraiu novo casamento quando seu marido faleceu. Criou e educou seus quatro filhos com o suor do seu trabalho num época de muita carestia .
Fonte : Álbum da família Gema Tonini Ceccato, publicado no perfil do Facebook do seu sobrinho Godofredo L. Tonini.



Pe. FAUSTINO JOSÉ TONINI *1943 +2021

Ordenação sacerdotal de Faustino José Tonini em 1975
 
Faustino José Tonini, nasceu em 04 de agosto de 1943. Ingressou no seminário de Nosa senhora de Sion em Castro, no Paraná, aos 10 anos de idade. Foi ordenado Sacerdote em 06 de abril de 1975. A cerimônia ocorreu na igreja matriz de Nova Trento . Na foto, ao fundo , o padre Otmar Jacob Schwengber, S.J. vigário na época. Padre Faustino era filho de Elísio José Tonini e Benta Battisti Archer que casaram em 14 de fevereiro de 1942 e tiveram os filhos: Faustino (Belinho), Ester Maria (Neneca, in memoriam), Luiz Antonio (Tonica, in memoriam), Godofredo (Godoi) e Sálvio (Bereco).    Foto: Ruth Perreira Battisti Archer( livro: Além dos Horizontes)
Foto da celebração da 1ª missa (foto godofredo L. Tonini)
Faleceu no dia 08 de abril 2021, ao 78 anos, em são Paulo (Foto: Andreia Soares)
Cerimônia de Casamento de Ana Sgrott (foto do arquivo de Ana Sgrott)

Postagem e comentários Jonas Cadorin

UMA TELHA, UMA INFORMAÇÃO!

Na recente troca do telhado da casa do falecido Salvador Cadorin, construída na década de 1950, na rua João Bayer Sobrinho encontramos várias telhas da CERÂMICA CATARINENSE NOVA TRENTO Sta. CATARINA. Não temos informação de onde se localizava a cerâmica e quem eram os proprietários. Postagem: Jonas Cadorin . postagem do Sr. Godofredo L. Tonini no facebook “

O exemplar da telha abaixo era fabricado na década de 1950, numa antiga e pequena olaria nominada de Ceramica Catarinense que funcionava na localidade neotrentina conhecida por Maronha, localizada na Ponta Fina Norte e próxima ao Bairro Sant Antonin, no nosso dialeto italiano e em português Santo Antônio, no município de Nova Trento – SC.Essa pequena olaria era de propriedade de meu saudoso pai Sr. Elísio José Tonini e de seu saudoso sócio Sr. Arnaldo Tomazoni.A antiga residência de meus saudosos pais também era coberta por essas telhas.”

GRÊMIO ESPORTIVO PINDORAMA -1960

110140621_929305667539138_8459132738185336737_o

GRÊMIO ESPORTIVO PINDORAMA – Colégio Normal Regional PIO XII – NOVA TRENTO
IDENTIFICAÇÃO DOS COMPONENTES DA EQUIPE FEMININA :
Da esquerda para a direita as Sras : Vitoria Dalbosco Archer, minha saudosa irmã Ester Tonini Piazza, Sonja Piazera Archer, Marli Battisti, Aparecida Tridapalli Archer, Valéria Battisti Cipriani e Maria Aparecida Valle.
IDENTIFICAÇÃO DOS COMPONENTES DA EQUIPE MASCULINA :
Da esquerda para a direita os Srs. Celso Tirloni, José Nilo Valle, Tadeu Busnardo, José Ângelo Voltolini, João Bertotti e o saudoso Benjamim Grott.
FUNDAÇÃO – Na década de 1960, o então Diretor do Curso Normal Regional Pio XII, o saudoso Sr. Fioravante Marchi, fundou o Grêmio Esportivo Pindorama, voltado para a prática de Voleibol pelos alunos (as). Existiam duas equipes de voleibol, uma masculina e outra feminina.
DISPUTAS – Os treinos e as disputas amadoras com equipes de outros municípios do Vale do Rio Tijucas, eram realizadas na quadra existente no pequeno pátio atrás do prédio escolar.
TORCIDA – Nos domingos a tarde, eram realizadas partidas de voleibol, com outras equipes visitantes. O comparecimento dos assistentes era enorme, a torcida era fanática, o pátio ficava superlotado, enfim uma grande festa.
ANTIGAMENTE – A prática de voleibol em Nova Trento antiga, e era levada a sério. Todos queriam ser os titulares, quer da equipe masculina, quer da equipe feminina.
MUDANÇA DE LOCAL – Por questões de logística funcional e educacional, o Curso Normal Regional Pio XII, passou a funcionar nas dependências do antigo Grupo Escolar Lacerda Coutinho, hoje, E.E.B. Professor Francisco Mazzola, a partir de 1967.
DECAINDO – Aos poucos essa modalidade esportiva foi esmorecendo, devido alguns fatores, dentre os quais destacamos : os alunos (as) iam se formando, mudavam de cidade, casavam, e as disputas na região também deixaram de ter o seu encanto.
FOTOGRAFIA – Registro fotográfico realizado no pátio do atual Colégio E.E.B. Professor Francisco Mazzola, na década de 1960, dos times de voleibol masculino e feminino do denominado Grêmio Esportivo Pindorama, formado pelas alunas e alunos do antigo Curso Normal Regional Pio XII, que antes funcionava no antigo prédio, onde hoje está instalada a empresa de Móveis Marchi, situada à Rua Hippólito Eugênio Boiteux – Nova Trento – SC.
ACERVO FOTOGRÁFICO – Geltrudes Tirloni
SIGNIFICADO DE PINDORAMA – Nome de nossa terra atribuído por algumas tribos indígenas. Em tupi-guarani significa terra das palmeiras. Esse nome foi mais usado no período anterior à chegada dos portugueses ao Brasil (1500).
Texto e imagem: Godofredo Luiz Tonini(Facebook). Postagem: Jonas Cadorin

ORDENAÇÃO SACERDOTAL FAUSTINO JOSÉ TONINI -1975

thumbnail_20200519_165207

Faustino José Tonini, nasceu em 04 de agosto de 1943. Ingressou no seminário de Nosa senhora de Sion em Castro, no Paraná, aos 10 anos de idade. Foi ordenado Sacerdote em 06 de abril de 1975. Ele é filho de Elíso José Tonini e Benta Battisti Archer  que casaram em 14 de fevereiro de 1942 e tiveram os filhos: Faustino, Ester Maria(Neneca, in memoriam), Luiz Antonio(Tonica, in memoriam), Godofredo (Godoi) e Salvio (Bereco).    Foto: Ruth Perreira Battisti Archer( livro: Além dos Horizontes. Postagem: Jonas Cadorin

FAMILIARES DE SEMINARISTAS – S.N.S.B.S. – 1958

2019-03-27 07.48.48

Familiares de seminaristas que estudavam no Seminário São José da cidade de Castro – Parana, junto com o Diretor desse seminário o saudoso Padre Vital Bernini, num domingo de data desconhecida do ano de 1958, nas dependências do pátio do Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro, situado no Morro da Cruz na altitude de 525 metros.
Na primeira fila a esquerda para a direita encostados na pedra, os saudosos Srs. José Erbs, Jaime Voltolini e Horácio Raulino.
Na primeira flila da esquerda para a direita sentados, os saudosos Srs. Luiz Tomasi, Antonio Feller. (Tonho) e Francisco Cadorin.
Na segunda fila em pé da esquerda para a direita, os saudosos Padre Vital Bernini, Diretor do Seminário São José da cidade de Castro – PR., Elísio Tonini, meu pai e a saudosa Sra Dezola Voltolini Visentainer.
Na terceira fila em pé da esquerda para a direita, as saudosas Sras Bráulia da Silva Voltolini, Guidinha Tomasoni Voltolini, Maria Gorges Raulino, Albertina Tridapalli Erbs e Clodomira Alice Cobb da cidade de Castro – Pr, professora dos seminaristas.
A sra vestida de preto com a mão na frente da boca e rindo gostosamente de nome desconhecido, ao seu lado minha saudosa mãe Benta Battisti Archer Tonini.
Atrás de minha mãe na sequência as saudosas Iolanda Voltolini, Adelina Demonti Cadorin e Selina Voltolini Floriani, (Celene).
No meio das crianças com o chapéu na mão, o saudoso Sr. Antonio Voltolini (Toni).
As crianças apesar de conhecidas impossível nomina-las, devido não estarem em ordem regular.

Foto e comentário: Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

CARNAVAL – S.R.HUMAITÁ. 1970

2019-03-18 22.17.23

“A Sociedade Recreativa Humaitá sempre proporcionou à seus associados uma efetiva programação carnavalesca com excelentes resultados. Seus associados também tinham uma participação social muito ativa, o que deixava seu local dos bailes sempre lotados.

Com muita dedicação e simplicidade as antigas diretorias lhe deram longa vida social e futebolística, por isso neste mês de março  foi comemorado o seu aniversario de 100 anos de fundação, 19/031919 – 19/03/2019.

Parabéns a atual diretoria que esta resgatando a historia dessa magistral sociedade, a vocês a nossa eterna gratidão.

No meu tempo de criança quando se falava que a S.R.H. iria jogar partidas de futebol amistosas ou de campeonatos regionais aos domingos à tarde era uma festa, embora a doutrina aos domingos à tarde e a participação da Hora Santa uma vez por mês, nos faziam sempre chegarmos atrasados para assistirmos o início das partidas de futebol, mesmo assim dávamos sempre um jeito de ir torcer.

Terminadas as nossas obrigações religiosas saíamos em disparada para o campo da S.R.H., e a a cada pessoa que passava de bicicleta vinda da direção do campo da S.R.H., já perguntávamos, quem está ganhando ? Se fosse a S.R.H. era uma festa.

Antigamente quando crianças aprendíamos rapidamente dois ensinamentos:

1º – O primeiro era religioso olhar para o Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro e pedir a sua proteção;

2º – O segundo de cunho esportista torcer pelo time de futebol da Sociedade Recreativa Humaitá.

Ensinamentos que jamais foram esquecidos, e com um detalhe interessante ou coincidência, as vestes de Nossa Senhora geralmente são azul e branca, que são também as cores oficiais da Sociedade Recreativa Humaitá – S. R. H.”

Identificando: Da esquerda para a direita, esposo de Neiva Tirloni, Neiva Tirloni, Oscar Hartke, Nilce Tirloni, Neusa Tirloni e seu marido o saudoso Jonas Piazza.

Postagem: Jonas Cadorin  . Texto e fotografia:  Godofredo L. Tonini

Primavera x Humaitá

 

Da esquerda para direita:

Em cima: Valdir Piazza, Acis Cadorin, XXX Cecato, Altair Piazza, Roberto Vale, desconhecido, desconhecido, desconhecido, Miracir Vale, desconhecido, Godofredo Tonini, Cao Marchi, Maurilo Mazzola, Lola Dalbosco e Walter Feller.
Em baixo: Tarcizio Lorenzeti, Osmar Fachini, Otto Orsi, Gilberto Ruberti, Pedro Barauna, Oscar L. Sgrott, José Batisti Archer, João Luiz Orsi, Walter Dalbosco, Clides Michelli e Dico Dellantonia.

Colaboração: Oscar Lino Sgrott