NOVA TRENTO -DÉCADA DE 1960

31545_531201833574236_286957923_n

Foto de boa resolução tirada do alto do morro do cemitério. No canto direito,baixo, é possível visualizar um pedaço da praça Getúlio Vargas com o obelisco comemorativo aos 50 anos de imigração  italiana/tiroleza a Nova Trento. A frente a casa de quatro fachadas pertence a família de Romeu Piazza No lado a casa que pertenceu ao sr. Fioravante Marchi. Note-se ao fundo a presença de araucárias(pinheiros que se não foram cultivadas eram nativas e que se adaptaram bem ao clima da região). Ao fundo a igreja matriz antes da reforma(com seu teto alto, duas águas) e logo a frente o prédio da antiga prefeitura. A esquerda, ao fundo , a casa “salamanca” residencia atual de sr. Vita Sgrott, a casa do Falecido ‘Dedéco’ Piazza(padeiro). A seguir a residencia da família Batistotti onde funcionou a sede do Circolo trentino na década de 1980. Ainda esta de pé a imponente casa de comércio da família Boiteux (hoje faria frente com o mercado Bitencourt.

Anúncios

Casamento de Valério Cadorin (Lélo) e Catarina.

44106496_510658579403851_4281175236889542656_o

“CASAMENTO A MODA ANTIGA – NOVA TRENTO
Registro fotográfico do casamento do meu saudoso amigo Valério Cadorin (Lélo), e de sua esposa Catarina.
Antigamente os convidados dos casamentos geralmente eram os vizinhos mais próximos, e os parentes dos noivos.
A decoração em sua maioria consistia em enfeites com pés de palmitos, nos quais se dependuravam pequenos buques de flores naturais, ou feitas com papel crepom, mas o que mais importava eram os excelentes almoços ou jantares, proporcionados pelos noivos.
Identificando os participantes desse casamento :
1ª – Mesa : da esquerda para a direita :
1ª – Fila : os saudosos (as) : Maria do Carmo(Carmen) Maçaneiro Cadorin, Tereza Dalri Cadorin, José Cadorin (Bepi), Francisco Cadorin, Adelina Demonti Cadorin, Jordão Cadorin, José Dell’Antonia, e Maria Cadorin ;
2ª – Fila : dois desconhecidos, Nilton Cadorin, cinco desconhecidas, as saudosas Claudia Gessele Cadorin, Camila Cadorin Eccher, e desconhecido ;
2ª – Mesa : da esquerda para a direita :
1ª – Fila : Padre Moisés Facchini( Leja), meus saudosos pais Benta Josefina Battisti Archer Tonini e Elísio José Tonini, os demais desconhecidos ;
2ª – Fila : todos desconhecidos.
Mesa dos casados :
Da esquerda para a direita : Os saudosos Geraldo Cadorin e Valério Cadorin, esposo, Catarina, esposa, o saudoso Padre Claudio Cadorin e a Sra Albertina Darós.”

Fotos e comentários: Godofredo L. Tonini. Postagem: Jonas Cadorin

BUONA PASQUA

Scan0002

Cartão de Boas festas de Páscoa  foi enviado por  Giácomo Tommasi a José Bastiani em data de 11/04/1914 . Giacomo(Tiago) Tommasi  possuía uma pequena fábrica de cerveja, em Nova Trento. No ano de 1942 Giacomo mesmo residia no local onde hoje está localizada a loja da Di Mirmay, na rua lateral da praça Galileu Galilei(Getúlio Vargas) e ali funcionava a estação do correio.  Note-se que os dizeres então em língua italiana.                                                                                                                                                                 Imagem cedida por Luiz Bastiani.           Postagem: Jonas Cadorin

CENTO E VINTE SEIS ANOS DE EMANCIPAÇÃO – 08.08.1892 DE NOVA TRENTO É COMEMORADO NA 26ª INCANTO TRENTINO

2018-08-08 09.06.17

Em 1992 o Circolo Trentino de Nova Trento, lançou a primeira edição da festa das tradições Trentino-italianas (também ficou conhecida como festa do vinho). A festa coincide com a semana do município e tem procurado ser uma festa  que valoriza e divulga a cultura dos antepassados que fundaram  o núcleo colonial do Alferes (Al Fero). Este ano, 2018, a festa faz um resgate de sua identidade e esta sendo organizada em Neotur ( Associação neotrentina de Turismo) com apoio da secretaria de Turismo.

Postagem Jonas Cadorin

Um sete de setembro

2018-07-27 13.12.51

Um desfile de Sete de setembro na década de 1960. Ao fundo o prédio da antiga prefeitura e o bar e padaria, o bar Central, do Sr. Bernardo Tell. Clicando sobre a foto para amplia-la,é possível identificar pessoas como Marcos Mazzola, ao lado do padre Vigor(?), Aires Rachadel, Valentim Borgonovo. Logo atrás a banda padre Sabattini com músicos conhecidos como: os irmãos João, Francisco e Jordão Cadorin, Virgílio e Luiz Tomasi…                                                                                                                                         Postagem: Jonas Cadorin, arquivo fotalgráfico do colégio Francisco Mazzola

 

2018-07-27 13.15.37

Pelotão das bicicletas. A bicicleta foi um dos veículos  que antecedeu a chegada dos automóveis na cidade. Das marcas importadas da Suécia , Alemanha , Estados Unidos como Göerick, Marathon, Prosdócimo, Lucifer , Columbia, Hermes,Calói, Monarch… nas versões masculina e feminina eram o sonho de consumo de jovens e adultos e encurtavam distãncias nas estradas de chão que eram percorridas a pé, carroça ou carro de boi.

2018-07-27 13.18.02

Presença da Irmanzinhas da Imaculada Conceição com a bandinha de crianças do jardim da Infância Pe. Rossi. ( seria a Irmã Rosarita , na foto?)

2018-07-27 13.20.45

2018-07-27 09.09.402018-07-27 08.56.15

FILHOS DE VIRGÍLIO FACCHINI

Foto família Facchini

Virgílio Facchini e Giuseppina (Josefina) Darós se reuniram para uma foto. São eles, da esquerda para a direita:Benilde Maria, Genésio Antonio, Maria Ana, Valentim Antonio, Adelaide Maria, Dalila e Marina.

Foto cedida por Elis Facchini

VIRGILIO FACCHINI e JOSEFINA DARÓS

3FB_IMG_1509668150267Virgílio Facchini ( nascido em 01.11.1913), casado com Josefina Darós. Foto do dia do casamento. Residiram numa casa de esquina no entroncamento entre a rua João Bayer Sobrinho e o entrada do bairro Trinta Réis. Exerceu a profissão de alfaiate. Virgílio era filho de Giuseppe (José) Roberto Facchini e Adelaide Natalina Vendrame. Já Giuseppina (Josefina) Darós era filha de Giovanni Battista (Gio-Batto) Darós e Adelle Segalla.

Foto: Elis Facchini, álbum de família

ANA DALRI – UMA SANTA DE CEMITÉRIO

20151102_104709Ana Dalri  * 19.09.1874  + 30.05.1945  A data de nascimento atesta o que Ana deva ter nascido na região do Tirol (Trentino atual). Faleceu de câncer e os que a conheceram  afirmam que suportou o sofrimento com resignação cristã somente vista em pessoas de muita fé, numa época em que  os medicamentos eram escassos e caros. Seu túmulo é local de visitação por pessoas que buscam alcançar alguma graça. É tida como uma santa de cemitério pois sua santidade não é reconhecida pelo processo canônico  católico.