ADEMIR BOTTAMEDI +2009

Cerimônia do Crisma igrje matriz de Nova Trento. Na foto Ademir Bottamedi com o crismando Sérgio Bertotti (Serginho), Dom Eusébio Sheidt, Padre Jacó Melz.

Jornal da Paróquia São Virgílio, julho/agosto 1993

Ademir residia nas proximidades do oratório de São Roque. Um homem de respeito e inserido na comunidade. Faleceu prematuramente de câncer em fevereiro de 2009.

Foto O Trentino , Fevereiro de 2009, p. 09. Postagem Jonas Cadorin

ANGELA MURARA – CENTENÁRIO – 1975

Angela Murara, de Rio dos Cedros, desfila em carro aberto no desfile dos centenário de imigração italiana(Tiroleza/Trentina). Na época um cartaz com representantes de Nova Trento, Rodeio e Rio dos Cedros foi publicado para marcar o evento no Brasil e no exterior
Clarice Ruberti com o menino, Denis Dell’Antonia, …e Angela Murara

Postagem Jonas Cadorin(arquivo pessoal)

MADRE PAULINA -DÉCADA DE 1940

Na foto, no pátio da casa em Ipiranga,ao centro, está Dom José Gaspar de A. e Silva, arcebispo de São Paulo na época. À esquerda de Dom José, está Santa Paulina; à direita, Irmã Luiza de Jesus Crucificado, superiora geral. Madre Paulina faleceu em Ipiranga, São Paulo, no dia 9 de julho de 1942

Fonte: arquivo da Congregação da Irmas da Imaculada Conceição. Postagem Jonas Cadorin

ALBERTINA TRIDAPALLI E JOSÉ ERBS

ALBERTINA TRIDAPALLI E JOSÉ ERBS – BODAS DE OURO

“Foto tirada na década de 70 durante as bodas de ouro do casal!

José Erbs nasceu em Brusque, Albertina nasceu em Nova Trento.  A família Erbs morava no centro da cidade.

Mulheres filhas do casal, fila da frente, lado esquerdo.

Da esquerda para direita: Marlene Erbs., Terezinha Erbs.,Aparecida Erbs. (In memorian),Salete Erbs.

Homens filhos do casal, fila de trás, da direita para esquerda: Nelson Erbs (in memorian), Valdemar Mário Erbs ( Marinho Erbs), José Carlos Erbs (meu pai), Tarcísio Erbs.

Nomes das noras, da direita para esquerda. Maura Mota Erbs, Alba Cadorin Erbs (in memorian), Nilva Tenfen Erbs

Nomes dos genros: Azen Abuduladi Said (in memorian), Jair Casagrande, Raul Benevenuti (in memorian)

Filhos nascidos em Nova Trento e com o passar dos anos alguns foram para Brusque e outros foram residir no norte do Paraná. Somente 1 filho ficou em Nova Trento, Tio Marinho que reside na cidade até hoje.” Texto e fotos: Franklin Erbs. Postagem: Jonas Cadorin

PEDREIROS- IGREJA EM RIO DO OESTE- 1957

Pedreiros de Nova Trento, entre eles o sr. Celestino Batistti, construíram , nos de 1956 a 1957, a igreja de alvenaria em substituição da igreja de madeira, dedicada a Santa Catarina, na localidade de TOCA GRANDE I

“O fundador da comunidade, Ernesto Ronchi nasceu na Província de Belluno, em 31 de maio de 1886. Veio para o Brasil com apenas 40 dias, em companhia dos pais, Luiz Ronchi e Maria de Lazzer, a avó materna e três tios, e instalaram-se na colônia Luís Alves, distrito de Blumenau.
Casado com Páscoa Stringari, Ernesto Ronchi trabalhou como sapateiro. Em 1918, com outros colonos, instalou-se em Toca Grande; construiu a primeira balsa para atravessar o rio (1925).
A comunidade que ele criou foi, mais tarde, dividida em outras: Toca Grande I; Toca Grande II e Toca Grande III (Alto Toca Grande). Colonizada pelas famílias Ronchi, Neguerbon e Moser, que enfrentaram animais selvagens e indígenas.
A capela de madeira que construíram era atendida pelos padres João Rolando e Baggio.
Ao lado da capela dedicada à Santa Catarina, os moradores construíram a escola, onde o professor Ernesto Ronchi lecionava em italiano.
As parteiras da comunidade eram Páscoa Stringari Ronchi e Ema Scoz.” In :http://www.riodooeste.com.br/historia/?id=institu/album&p=37&r=54&i=78

Igreja de
DCIM100MEDIADJI_0036.JPGco

FOTOS: Marcos Andre Pisetta, de Rio do Oeste. Postagem: Jonas Cadorin

CORPUS DOMINI -CORPUS CHRISTI – 1979

A festa do Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV no dia 8 de Setembro de 1264. O significado católico da festa refere-se a procissão como lembrança da caminhada do povo de Deus, peregrino, guiado por Moisés, em busca da Terra Prometida. O Antigo Testamento diz que o povo peregrino foi alimentado com maná, no deserto. Com a instituição da eucaristia a comunidade católica é alimentada com o próprio corpo de Cristo.

O trajeto da procissão é enfeitado com tapetes com motivos(desenhos) diversos preenchidos com serragem colorida, cal, pó de café, tampinhas de garrafa recobertas com papéis prateados/dourados, flores típicas do mês de junho, retalhos de tecido coloridos. Toda a comunidade se mobilizava para a festa guardando materiais durante o ano, doando flores e na madrugada do dia do Corpus Domini, geralmente muito fria, todos saiam à rua para enfeitar a frente de suas casas. Uma grande festa dentro de outra grande festa! Os estudantes e professores do colégio também participavam ativamente da ornamentação do trajeto.

Terminada a missa o cortejo saia da igreja com seis homens vestindo paletó , carregando o baldaquim, (cobertura de panos finamente bordados). O padre ia debaixo com vestes festivas(capa magna) expondo o ostensório dourado com uma hóstia consagrada ao centro. Crianças vestidas de anjos abriam o caminho que seria pisado por Deus feito homem na forma de pão, o Pannnis Angelicus. A banda padre Sabattini e o coral companhavam o cortejo tocando músicas próprias para a ocasião como o Tantum Ergum Sacramentum (Tão sublime sacramento). A procissão fazia três paradas em pontos específicos com altares caprichosamente enfeitados- e o padre proferia uma benção com o ostensório em meio a fumaça perfumada exalada do turíbulo que era levado pelos coroinhas(theregoti). Fogos de artífio eram explodiam no ar a cada para. A procissão finalizava em frente a igreja com uma benção final e mùsicas da banda. (Importante lembrar que foi na festa de corpus domini de 26 de junho de 1889, que cinco musicos da região de Blumenau,a convite do padre Angelo Sabattini, animaram a procissão. A apresentação foi a mola propulsora pra a fundação da banda em outubro do mesmo ano(132 anos ). O grupo I Pargoleti também foi fundado num dia de festa de Corpus Domini no ano de 2007 (14 anos).

As fotos abaixo foram cedidas do acervo do colégio Francisco Mazolla. Além das pessoas que cada um poderá identificar, algumas in memoriam) é pssivel também observar algumas aspectos das casas, prédios e estabelecimentos comerciais da época.

Postagem e cometário: Jonas Cadorin